Pará, divisão e interesses privados

Plebiscito poderá criar, em áreas de mega-jazidas minerais estados de Tapajós e Carajás. Que interesses haverá por trás do desmembramento?

 

Por Tainã Mansani, colaboradora de Outras Palavras

Conhecida pela imensa riqueza de sua biodiversidade, por abrigar a maior bacia hidrográfica e algumas das jazidas minerais mais profícuas do planeta, a região Norte do Brasil é, ao mesmo tempo, teatro de uma sucessão de conflitos. Assiste à exploração predatória da floresta e da fauna, multiplicação de garimpos ilegais, disputas violentas de terras, trabalho escravo, ocupação urbana caótica, desigualdade social e clientelismo. Em meio a este cenário pontilhado de contradições, o Congresso Nacional aprovou, em 5 de maio (em sessão esvaziada), a realização do plebiscito para criação de dois novos Estados oriundos da subdivisão do Pará: Carajás e Tapajós.

Os interesses políticos e econômicos, no entanto, ainda não foram esclarecidos. Pior: não se sabe “para quê” e “para quem” servirá a divisão do atual estado do Pará.

Atualmente, o Pará é o segundo maior estado do País, atrás apenas do Amazonas. Trata-se de uma área de 1.247.703 km² com densidade demográfica aproximada em 5,5 habitantes por km². Nesse estado, o PIB per capita é de R$ 4.992  (dado de 2004).

Se aprovado em plebiscito popular, o estado de Carajás contará com uma área aproximada de 296 mil km² contra mais 700 mil km² de Tapajós. Em percentual de população Carajás ficararia com cerca de 23% do que é hoje o estado do Pará, e Tapajós 16%. Carajás, no entanto, herdaria as maiores reservas minerais e empreendimentos da região.

Mas a questão está mesmo nos recursos naturais presentes nessas áreas – e, diga-se, não são de pouca monta. Lá está uma das maiores jazidas minerais do mundo, explorada pela empresa de capital privado Vale (antiga estatal Vale do Rio Doce, privatizada em maio de 1997 pelo governo de Fernando Henrique Cardoso.

Com a divisão, as minas de bauxita do Rio Norte (Oriximiná), de Juruti e a polêmica Usina de Belo Monte (a 40 quilômetros de Altamira) passariam a pertencer ao estado de Tapajós.

Carajás abocanharia a mina de ferro do município de Paraupebas (maior produtora de minério de ferro do mundo, explorada pela empresa Vale), as Minas de cobre em Marabá e Canãa, além de importantes reservas de cobre e níquel. No Pará restariam as minas de bauxita em Paragominas.

A divisão do estado do Pará, no entanto, não elucida quais as melhorias imediatas para a população. Além disso, não são explicítos os gastos que a população deverá pagar pela criação de dois novos aparatos burocráticos – por baixo, cada deputado custa ao país mais de R$ 100 mil, por ano.

Em artigo publicado no Jornal a Folha de S.Paulo, em maio, o doutor em ciência política, Fernando Luiz Abrucio, esclarece: “o problema é a gestão pública brasileira… Novas estruturas governamentais replicam os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário”, afirma ele. Logo, gera-se maiores gastos.

Segundo o especialista, a consequência mais complicada decorrente dos desmembramentos seria a ineficiência das políticas públicas.

Fato é que seriam abertas novas portas para novos cargos executivos e para mais empregos públicos – processos que estão a “um passo” da troca de favores políticos – é dizer, do clientelismo.

O quiproquó político tampouco esclarece os interesses econômicos – de poucos – na região. A mensagem é “subliminar”, mas está no pacote. Valeria perguntar à população quanto ela quer pagar para ver o público “virar” privado. E nesse caso, é sempre bom lembrar da Vale.

*Fontes: Jornal O Estado de São Paulo (07 de maio de 2011- Nacional), e Jornal Folha de São Paulo (07/05/2011 Caderno Poder) Secretaria de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia – SEDECT do Estado Pará e Sepe – Secretaria de Estado de Projetos Estratégicos (Pará) *2008

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

49 comentários para "Pará, divisão e interesses privados"

  1. daiane disse:

    Apesar de parecer que existam somente interesses politicos por tras dessa divisão, nos moradores do estado do Tapajós lutamos e sonhamos com isso a muito tempo.
    Lutamos para fazer parte de um estado de fato, que atenda nossos interesses, que são muitos: educação, saúde, emprego, enfim algo mais igualitário, e que condiga com a realidade brasileira.
    Venha conhecer nossa realidade.
    Continuamos na luta pelo estado do TAPAJÓS!!!!!

  2. César lima disse:

    A criação desses novos Estados só objetivam interesses políticos que seriam a criação de vários novos cargos como deputados, assessores, entre vários outros, que só trarão mais despesas ao governo, que poderia investir esse dinheiro desperdiçado em educação, saúde e segurança

  3. IZAILTON BARBOSA LIMA disse:

    “por baixo, cada deputado custa ao país mais de R$ 100 mil, por ano”
    VEJAM SENHORES O QUE NÓS SIMPLES CONTRIBUINTES PAGAMOS AOS NOSSO DEPUTADOS. ESSA JUSTIFICATIVA SOMENTE ENVERGONHA MAIS AINDA A CLASSE POLÍTICA BRASILEIRA. E JÁ FOI PROVADO POR A MAIS B QUE O NOSSO IMENSO PARÁ NÃO MELHORA.
    NÓS TEMOS QUE DIVIDIR PARA QUE TODOS QUE MORA NESSE IMENSO ESTADO, POSSA SIM SER VISTO POR QUEM TEM A OBRIGAÇÃO DE DAR ASSISTÊNCIA, COISA QUE NA REGIÃO METROPOLITANA NÃO ACONTECE, IMAGINA NAS MAIS AFASTADAS (ONDE OS MORADORES NEM SABEM QUE É DE FATO O SEU GOVERNADOR)
    VAMOS DIVIDIR!

  4. Jámison da silva castro disse:

    Quem deseja dividir o estado do pará não são os paraenses,são pessoas de fora do estado,satarem estar cheio desta jente,doidos pra abocanhar a nossa terra. DIGA NÃO !

  5. Levy Burite disse:

    Qum é contra á divisão do estado do pará, não mora no interior do estado onde não temos educação (faculdade), os jovens precisam sair para outras cidades ou ate mesmo estados para cursr uma faculdade. saúde, não temos peofissionais suficiente para atender a população nem temos saneamento básico. sem contar as rodovias que nem sempre são asfaltadas e quando são a maior parte são buracos causando varios acidentes e muitas mortes. por esse motivo eu falo
    quem é contra a divisão não mora no Sul do Pará, aqui somos esquecidos por nossos governantes.
    Xinguara pará.

  6. Paulo Sávio Alves disse:

    A divisão do Pará só interessa à cobiça dos políticos e interesses privados. Não vai melhorar a situação nem a economia da região, muito pelo contrário, promoverá aumento nos custos para gestão, aumento de senadores, deputados e toda a curriola de agregados que esses políticos arregimentam para si. Será mais um cheque em branco concedido a esses políticos corruptos e sem princípios, para satisfação de seus interesses próprios. Será mais um engodo político que se utiliza de um povo ignorante, indolente e sem discernimento.
    Não à divisão do PARÁ!

  7. Eduardo disse:

    Quem defende a criação desses estados sob o pretexto de educação, mobilidade e saúde só pode estar fazendo piada. Me dêem um estado deste país onde esse problema não é crítico! Votam em Jader Barbalho e estão querendo o quê? Inventaram avião, estrada, barco, o que não existe é político interessado em ajudar o povo deste estado, porque dinheiro sempre tem. Olhem só a quantidade de estados pequenos neste país que estão com o IDH digno de África.

  8. Luiz - jornalista disse:

     CRIAR ESTADOS NA REGIÃO NORTE É NACIONALIZAR A AMAZÔNIA COM INVESTIMENTOS, é a presença do poder público na Amazônia brasileira.

     Quero parabenizar , os senadores pela coragem de levantar um problema de segurança nacional e pensar em criar um pólo de desenvolvimento e segurança nacional. Essa região é absolutamente esquecida por nossas autoridades, um região onde vivem milhares de brasileiros que foram condenados ao isolamento e deixados em uma zona de fronteira sem a devida vigilância de fronteira. O desmando e a falta da presença do poder público nessa região fragilizada ao narcotrafico. Não se justifica em nosso país termos o Estado do Amazonas maior que muitos países vizinho ao Brasil, inclusive países da Europa e termos Estados pequenos como Alagoas e Sergipe.È preciso criar o Estado de Solimões para que essas cidades do extremo oeste do Amazonas sejam acolhidas com a presença do poder público. Assim como o Estado do Tapajós será uma realidade futura, o estado do Solimões também deve ter sua devida atenção.Basta vontade política para isso e confio na competência e articulação política que nossos deputados e senadores da amazonia darão força a este projeto criar o estado do Solimões e Rio Negro. Srs, levantem essa bandeira, crie o futuro do Brasil e dessa região.. Dê a oportunidade dos moradores dessa região decidir democraticamente em plebiscito e o desenvolvimento dessa região. É PRECISO PENSAR EM DIVIDIR O ESTADO DO AMAZONAS PARA CRIAR OS ESTADOS DO SOLIMÕES, COM CAPITAL TABATINGA E O ESTADO DO RIO NEGRO, COM CAPITAL TEFÉ.

  9. Pedro Luiz disse:

    SERÁ BOM PARA O PARÁ, SERÁ BOM PARA O BRASIL.
    “A criação dos estados do Tapajós e Carajás é o maior projeto de desenvolvimento econômico do País que se discute hoje, temos que levar em conta os benefícios da região Norte e da Segurança nacional da Amazônia, acredito que esta estratégia que os municípios estão articulando, tem que ser feita urgentemente já que o nosso tempo é de seis meses, para a realização do plebiscito”,

  10. Antonio Fernando Araujo disse:

    Se o que garantem o Luiz, Levy, Izailton e o P. Luiz tivesse um mínimo de veracidade Alagoas, Sergipe, Paraíba, RG do Norte e Espírito Santo seriam os estados top de linha em matéria de desenvolvimento. Em contrapartida basta uma olhada no mapa para observarem se os grandes países ou estados não são grandes em extensão territorial. Essas coisas não se separam, não há milagre. Mas sobra em mistificação eleitoreira de cujas benesses sairão contemplados algumas poucas famílias, entre políticos e empresários que já se articulam. É fácil comprovar isso, basta uma espiada em quem está se mexendo pela divisão: político ou empresário (e respectivas famílias e roda de amigos, claro). Ao contrário, a população q ñ tem interesses outros, deveria se mobilizar, isso sim, pra valer (Sindicatos, Associações, Cãmaras Municipais, etc) para exigir do governo, políticas públicas que supram suas carências, uma realidade injusta que se arrasta há décadas e que, infelizmente, não será resolvida por uma divisão territorial. Quem dera o fôsse, seria por demais simples resolverem-se os problemas.

  11. Laurentino disse:

    Se eu não estou enganado esse projeto de lei é do Deputado Morazildo de Roraima, me expliquem porque Roraima é um dos Estados mais pobres do Brasil,. Se o motivo é melhorar vamos dividir Roraima, porque eu acho que ainda está muito grande.

  12. mara disse:

    A quem interessa a divisão do Estado do Pará?
    Pobreza Absoluta
    Aos 2.364.493 paraenses que estão abaixo da linha da pobreza , sem qualquer expectativa de oportunidades social , ecônomico , pedagógico e cultural .
    Dentre as muitas características do estado do Pará , uma das mais marcantes que me chama atenção pela pura maldade e/ou incompetência dos governantes , é o contraste no que se refere aos seus indicadores sociais e econômicos . Pelos dados do próprio governo ( leia o relatório do mapa de exclusão social nos sites da SEPOF,IBGE,IDESP) , observa-se um aumento dramático dos níveis de pobreza absoluta da população paraense ( cerca de 237.000 neste ano ) e dos níveis de desigualdades e de exclusão social tanto nas áreas urbanas como nas áreas rurais .
    dados :
    população do estado do Pará : 7.321.493 x 32,29% = 2.364.110 paraenses no estado de absoluta pobreza .
    Considera-se pobreza absoluta : São pessoas que convivem em domicílios com renda mensal inferior a ½ salário mínimo ( cerca de R$270,00 ) per capita .
    Mara,moradora de Ananindeua-Pa

  13. luana cristine lima disse:

    a divisão do estado do pará não é interesse nosso os paraenses e sim de politicos corruptos q queren lucrar as nossas custas e q nóis devemos lutar contra essa divisão q não nos favorece a nada.

  14. luciana disse:

    Mara, voce acredita em duendes? voce conhece o interesse desses empresários e politicos que defendem a separação? Nem paraensse são….procure ler um pouco mais sobre a politica e os politicos que defendem a separação. Somos Paraenses estamos saindo da linha da pobreza nossos filhos precisam de uma chance par ocupar os spaços em todo o estado. Deveremos nos unir para afastar de vez esses interessses. Recebemos essas pessoas com a hospitalidade Paraense e recebemos essas atitudes. Lamento mais os interessados são todos os que tem interesses em alguma vanatagem economica para si mesmo. Nao pensem que ele s vao abrir emprego para nós, pobres e sem escolaridade, veja a Vale e as empresas grandes só tem profissioais de fora até estrangeiros estão atuando no nosso pará. Por favor não se deixe enganar por essas ideias separatistas.Juntos Seremos Mais fortes. Precisamo nos Unir: Indios, brancos, pobres, pretos, brancos, mulatos, ricos, analfabetos, alfabetizados…é o nosso estado onde nascemoss, onde moramos, onde vivemos .´Não deixe isso acontecer…Nossos netos irão dizer que fomos covardes em nao brigar por isso. Que Deus a proteja.

  15. Núbia Santos disse:

    Dividir o que ?
    Vamos é unificar a Amazônia !!!!

  16. Santiago disse:

    Me informem: que político joga para perder? Se fosse benefício à população, com certeza não teriam todo esse auê. Tem gente morrendo na fila dos hospitais, tem rodovia federal para duplicar, falta curso superior para carentes e nunca ouvi falar de plebiscito para esses problemas serem resolvidos. Quando um assunto desse é levantado, tenha certeza: Procurem se informar e não ficar iludido por coisas que “acham que irão melhorar”. Político e grande empresário só querem aumentar “o deles” e a população que pague imposto.

  17. juliana disse:

    essa divisã vai causar um rombo muito grande para os cofres publicos do nosso estado e o mais revoltante é que as pessoas que estão fora do estado estão mais informadas que muitos paraenses. Essa divisão vai nos prejudicar de mais,o pará que é rico em tudo vai ficar pobre e prejudicado

  18. Cleise Coelho disse:

    Tenho a dizer que, não é dividindo o Pará, ” para almentar a corrupção” , que vamos resolver os problemas sociais, mas cabe a nós eleitores, tomarmos conciência que devemos mudar a situação em nossas cidade, moro na capital e aqui, também vivemos muitos dos problemas vividos no interior, porém continuamos de braços cruzados deixando que as coisas erradas aconteçam na nossa cara.Dividindo, estaremos abrindo portas para que os nossos Políticos Corruptos tenha mais oporunidades de roubar. Temos que mudar essa situação, pois essa fraze é certa ” Unidos temos mais forças pra vencer a guerra”.

  19. Bom,sou da capital do pará Belém, muitos nem ligam para essa divisão, alguns podem ser influenciados a votar NÃO ,outros votarem por conta própria, porem o carajás e tapajós podem sim serem os novos estados, pois a grande maioria que votarem será mais porcentuado nas cidades dos novos estados.Agora com relação a Belém,a população não tem muita informação sobre a divisão pois caso seja obrigatório votar o pará todo, pode se dizer que belém será
    a votação mais esperada, pois seu numero de habitantes é bem “maior” ,coisa que não será após a divisão.
    Escrito por: eStudante da escola santa clara (Santarém-Pará) DO 8ANO

  20. Sabor marajoara disse:

    Chegaram os visitantes na minha casa, eu lhes ofereci, abrigo, comida, hospitalidade, trabalho, etc. Eles prosperaram e enriqueceram mas tudo isso nao bastou para saciar a sede de poder e ganancia desses exploradores. Eles querem mais, sempre mais. Agora eles querem se apossar da minha casa e me deixar relagada a viver num quartinho de empregada. Brincadeira o que essa corja esta querendo fazer com o Para. Fora exploradors e enganadores do povo. Povo paraense nao se deixe mais enganar por esses espertalhoes. Essa divisao so vai ser boa pra meia duzia de pessoas, o restante da populacao vai continuar explorada e esquecida. Abra bem seus olhos e diga um sonoro NAO no plebiscito.

  21. Kelly disse:

    A divisão só nao vai ser boa pra quem esta nos interiores do estado do Pará q abocanha tdo os nossos empregos e dinheiros. Quer dizer q a divisão nao sera boa ??? Divisão já Estado de Carajás e Tapajos Ja!!!!! Pra melhorar pra nos que moramos aki no sul do Pará q com muita Fé em Deus sera TAPAJOS.

  22. Idyney Oliveira disse:

    A todos que são indiferentes a luta pro-tapajos ou carajas, e por falta de argumentos solidos que justifiquem seu posicionamento contrario a não ser o já manjado interesse politico. Experimentem viver a realidade politico-social do Oeste paraense. Vivenciem na pratica o sabor amargo das mazelas sociais a tempos vem sendo relegado pelos govermos paternalistas da capital e metropolitana.

  23. Reinaldo Antonio de Souza disse:

    O estado do Pará não necessita de divisão, e sim, políticas públicas sérias. Precisa-se, também, de políticos compromisados e não de politicagem. Posso afirmar, que o real motivo destes políticos, criadores da lei separatista, é aproveitar os cargos políticos que estes estados, depois de criados, iram lhes proporcionar. Giovani Queiroz e Lira Maia, entre outros, com os estados criados, ficaram no poder até suas mortes. E depois de enterrados, deixaram os cargos como herança para seus filhos. E que, por fim, se perpetuará para os netos, bisnetos, tataranetos e muitos outros tatas. Como diz um velho chavão “POVO QUE NÃO CONHECE A SUA HISTÓRIA ESTÁ CONDENADO A REPETILA”. Não vamos deixar que está história se repita como aconteceu em Tocantins, que depois de 10 anos desmembrado, não consegue andar com suas próprias “pernas”, dependendo da UNIÃO. E advinha, quem mantem a união? somos todos nós através de robustos impostos. Não se deixe cair na conversa de pessoas sem escrupulos, não seja marionete, pesquise sobre o assunto e crie sua própria opinião, seja crítico, pois, somente assim que podemos mudar a realidade social em que estamos inseridos

  24. Ana Raquel Cordeiro disse:

    Antes de iniciar um assunto tão polêmico quanto a divisão do Estado do Pará, declaro ser contra a este ato. Mais por que? Bem, primeiramente porque o estado ficará mais desvalorizado e segundo, ocorrerá o ingresso de novos deputados, senadores entre outros, o que dará margem ao aumento da corrupção.
    Porém, o argumento dado ao referente assunto é sempre o mesmo: “o que é menor é mais fácil de administrar”. É verdade, mais nem tudo que é fácil é melhor. Basta ver que as maiores economias do mundo são de Paises em área e população. Por tanto, para quê jogar fora o que se pode concertar? O real problema é que muitos se acomodaram principalmente os políticos que para não terem trabalho com o segundo maior Estado do Brasil preferem dividi-lo em vez de ir em busca da resolução do mesmo. Mais ninguém enxerga que a pobreza não está no interior só por motivos de tamanho ou tempo e sim por incopetência de políticos que desviam o dinheiro público para seus bolsos podendo resolver problemas do tipo saneamento básico, educação, urbanização e mais um monte de melhorias que concerteza o atual Estado do Pará tem tantas ou melhor condições de prover do que os novos estados terão.

  25. Pedro e Souza disse:

    Lista dos estados do Brasil: Do maior ao menor. Amazonas, Mato Grosso, Tapajós, Minas Gerais, Bahia, Mato Grosso do Sul, Goiás, Maranhão, Carajás, Rio Grande do Sul, Tocantins, Piauí, São Paulo, Rondônia, Roraima, Paraná, Pará, Acre, Ceará, Amapá, Pernambuco, Santa Catarina, Paraíba, Rio Grande do Norte, Espirito Santo, Rio de Janeiro, Alagoas, Sergipe, Distrito Federal.

  26. WALTERNEI DA SILVA ARAÚJO disse:

    QUEM VAI LUCRA SÃO OS POLITICOS QUE DEVEM TER TERRAS E SE NÃO TIVEREM, MAIS SEUS AMIGOS FAZENDEIROS QUE MUITA TERRA PRA VENDER PARA O GOVERNO MONTAR AS ESTRUTURAS NECESSÁRIAS PARA FUNCIONAR AS CAPITAIS.POLITICOS QUE SE TIVESSE ENTERESSE LUTARIAM PARA LEVAR POLITICAS PÚBLICAS DO FEDERAL E ESTADUAL, NÃO FAZEM PORQUE ISSO NÃO ENCHE AS MALETAS, AS CUECAS, AS MEIAS DE DINHEIROS E FICAM MANIPULANDO O POVO DIZENDO QUE A SOLUÇÃO PARA POBREZA E DIVIDIR O ESTADO, O QUE PRECIAMOS É DE HOMENS E MULHERES COMPROMETIDOS LUTADO PARA RESOLVER POBLEMAS DO POVO E NÃO PARA SEU PROPRIO BENEFÍCIO.QUE DEUS ILUMINI A CADA HOMEM E CADA MULHER A VOTAREM COM RESPONSABILIDADE E SABEDORIA, PORQUE NOSSO FUTURO ESTÃO EM NOSSAS MÃO.

  27. creative disse:

    21 Questionamentos sobre a criação dos Estados de Tapajós e Carajás
    1. A quem interessa a divisão político-administrativa do Pará? Interessa a todos que querem o desenvolvimento de toda a região. Pois, convém a todos melhorar a governabilidade, reforçar nossa presença na Amazônia. O governo do Pará terá mais infraestrutura, modernização de governo, e mais dinheiro para investir e atender melhor a população.
    2. Mas por que interessaria ao Pará essa divisão? Os maiores beneficiados serão os habitantes do Pará. Melhora o governo, fortalece o funcionalismo estadual. É a oportunidade de o governo paraense acelerar o desenvolvimento humano e econômico do estado. Fazer a reforma administrativa e remunerar melhor todos os funcionários, civis e militares. Diminuir o déficit fiscal que em 2010 foi de R$ 110 milhões. O governo estadual pagou R$ 450 milhões de dívidas e contraiu mais R$ 756 milhões de novas dívidas. Sua capacidade de investimentos diminui ano após ano. Então, precisa fazer o ajuste de suas contas públicas. Sair da situação deficitária e pagar o serviço da dívida. E isso será possível com a criação dos novos estados.
    continua no link:
    http://creativebluevariedades.blogspot.com/2011/10/21-questionamentos-sobre-criacao-dos.html

  28. socorro disse:

    e verdade! a divisao do nosso estado e apenas interese desses politcos corruptos. e ñ dos paraenses. outras pessoas interessadas na divisao do estado sao pessoas ki nem paraenses sao, entao, akeles ki num sao paraenses, fora! o para e nosso. o povo paraense e kem decide, esses politicos por tras de td isso alem de num alcancar o ki ker sob a divisao, nunk mais serao eleitos pelo povo paraense. sabendo, ki nossa populacao e bem grande e e de grande valor.. ok

  29. Ze maria disse:

    ISSO Ñ TEM LOGICA, DIVIDIR O PARA Ñ EXISTE ISSO
    E INTERESSE POLITICO.

  30. elson cardoso disse:

    QUERIDOS LEITORES, QUE SAO CONTRA A DIVISAO DO ESTADO DO PARÁ, PERGUNTO A VOCES, VC CONHECE A REGIAO SUL E SULDESTE DO PARÁ?
    AINDA NAO? PORQUE NAO FAZ UMA VISITA ANOS DE CARRO PROPRIO AI VC VAI SENTIR NA PELE E NO BOLÇO ? PORQUE NA PELE VC LEVARA MUITAS HORAS DE VIAJEM E NO BOLÇO POQUE VC VAI TER QUE COMPRA PEÇE PRO SEU CARRO QUE VAI SER DANIFICADA DURANTE O PERCURSO. APROVEITA ANTES DO PLEBLICITO COM ISSO VC VAI SABER PORQUE NOS PARAENSE DESSA REGIAO QUE TANTO ESSA DIVISAO!
    VAMOS LA VOTASIM VOTE 77. NOVO ESTADO!
    AI TEREMOS MAIS SAUDE PUBLICA MELHOR EDUCAÇAO, MELHORES RODOVIAS ENFIM MELHOR MEIO DE VIDA A NOSSA POPULAÇAO!
    JA QUE TEM PESSOAS QUE NAO QUE A DIVISAO PORQUE?
    SABE QUE A CAPITAL BELEM E UM ESTADO PEQUENO! AI OS POLITICOS PODE ADIMINISTRA MELHOR O PARA!

  31. Luiz disse:

    Sou Mineiro e vou dar meu parecer….Quem pensa que dividindo o estado vai melhorar segurança, saude e ensino realmente é mais uma prova que não sabemos escolher as coisas que nos dão vantagem. Não é o tamanho de um estado que faz com que ele fiquei lesado nestas áreas…….Isto quem faz são os políticos que a maioria escolhe…….Com este pensamento eu afirmo aquela frase que diz: cada povo tem o governo que merece……..Dividam o estado e depois irão reclamar mais ainda……ACORDEM

  32. Luiz disse:

    Outro detalhe: Até hoje o Estado do TO não caminha com as próprias pernas..Até hj o TO precisa do dinheiro público…..Nós bancamos o TO

  33. Luiz disse:

    No Distrito Federal que é pequeno, pessoas estão sem atendimento médico

  34. jessylyn disse:

    Oi! pessoal moro em Belém e não é pq moro na capital q não temos problemas o povo dos interiores q pensão q Belém é uma maravilha ta totalmente enganado nossos hospitais estão cheios d gente, nossos ruas
    estão cheias d buracos, o emprego não é facil d achar .Os belenenses o os paraenses não são melhores e nem piores q os outros estados do pais .Toda essa palhaçada d divisão do pará o só mais um pretexto para os politicos nos robarem pq a grande maioria dos nossos governante q não são tds so sabe ver os seus intereses nada mais q isso e infelizmente quem paga td somos nos o povo do pará e do Brasil!O seu voto é sua escolha estude bem ,pesquise. converse com pessoas com mais conhecimento q vc para não fazer pesteira tenha orgulho da bandeira paraense não deixe a nossa estrela apagar.

  35. Thiago disse:

    Eu voto no SIMMMMMMMM!!! Quem vota no Não é porque: NÃO andou no Tocantins, NÃO andou no Tapajós e NÃO andou no Xingu. NÃO andou na Transamazônica e NÃO andou na Santarém ? Cuiabá. NÃO conhece o Sul … do Pará e NÃO conhece o Oeste do Pará. NÃO precisa de hospitais e NÃO precisa de mais escolas. NÃO ficou preso no atoleiro e NÃO ficou preso numa b…arreira do MST. NÃO sofre com falta de energia e NÃO sofre com falta de água. NÃO se importa com o presente e NÃO se importa com o FUTURO de outros irmãos brasileiros. NÃO enxerga a realidade e NÃO enxerga as oportunidades… O pessoal só pensa na questão política eu heim, quanto menor os Estados os agentes públicos serão mais cobrados quanto a alocação dos recusos destinados a população mesmo. EU DIGO SIM AO TAPAJÓS E CARAJÁS 77 SIM –

  36. Denisson Sousa disse:

    Para todos que sugerem que nao divida o Pará, os convido para passar uma semana em qualquer cidade do interior do Pará como Faro por exemplo que é o último lugar onde o Cristão pode querer ir, sendo que do outro lado do rio uma outra cidade chama Nhamundá é urbanizada e com todas as regalias de cidade de verdade.
    Perguntem ao pessoal do Tocantins sse foi ruim a separação…
    Perguntem ao pessoal do Mato Grosso do Sul se foi ruim a separação…
    Todos estão “rindo a toa” pois assim, esses lugares vieram a existir no Brasil.

  37. Denisson Sousa disse:

    jessylyn
    Se não dão conta de administrar nem mesmo a capital, imagina o estado todo!!!!
    Isso é lógica, casa menor melhor administrada….

  38. Denisson Sousa disse:

    Pessoal, é uma vergonha que uma cidade como Santarém que por muitos anos tenha sido a 2ª maior cidade do estado do Pará nao tenha uma via de acesso por terra que possa ser utilizada para trafego.
    Quem quer ir a Alter do chao por exemplo gasta 45 minutos de avião, 2 dias de barco ou 7 dias de carro saindo da capital (no inverno os onibus param pois nao passa nem tratos na rodovia que um politico X de belem “fez”, que para todos os efeitos esta “alfaltada e duplicada”.
    Mas lembrei que esses mesmos politicos que não querem a divisão do Pará não andam de carro, só avião pago por nós……..
    Pensem

  39. jordao disse:

    vindo de um paraense ou de alguem que vive na regiao de belem que nao conhece o oeste nen o sudeste do estado e de chorar muitas pessoas do norte do estado passaram a saber q tem varias minas de ferrosos e nao ferrosos no estado agora na propaganda do nao na tv minas com mais de 20 anos de exploracao tb nao sabem que tem varias familias abaixo da linha da miseria cidades sem investimento do governo estadual estradas esburacadas mst tomando contas das terras alheias sem nenhuma intervencao, cidades sem o minimo do saneamento basico com tantas mortes e falta de policiamento salario digno para professores e policiais, muita corrupsao, na cidade onde moro ha16 anos o estado usa escola e recurcos do municipal para falar que tem escola do estado aqui sem falar de tantas outras coisas que faltao aqui, e no mais esses estados ja estao separados a muito tempo so vamos consolidar porque a parte norte nunca tem verba para as outras 2 mas gostar de arrecadar dessas 2 partes eles gostao dia 11 sim para o nascimento de mais 2 estados

  40. jaciara disse:

    Quando muitos comentam que nos paraenses não conhecemos tapajos ou carajas estão enganados,não precisamos sair do pará , para sentir ou ver tamanha desigualdade social, desinteresse dos proprios governantes! sofremos com insegurança, pobrezas, infraestruturas. Na minha opinião e NÃOOOOOOOOOOOOO É 55.

  41. SERGIO VIDAL disse:

    EU SOU TOTALMENTE CONTRA ,NÃO,NÃO E SEMPRE DIREI NÃO DIVIDA O PARÁ

  42. Mário de Carvalho disse:

    Eternamente abandonado nas políticas públicas do governo de Belém, sou a favor da antiga aspiração do povo da região pela criação do estado do Tapajós, já no caso do Carajás, acho que é exagero criar mais uma máquina administrava pra região, acredito que Belém tem condições, o que vem mostrando recentemente, de administrar a região, portanto sou contra sua criação.

  43. Paulo Henrique Pinheiro Gonçalves Ribeiro disse:

    Não e Não!!, conheço a desigualdade social, chama-se Brasil. Conheço: Tapajós, Marajó.baixo Tocantins, Carajás, Rio Amazônas e Manaus, falta política seria no Brasil. Cuidado com a Amazônia com o
    Brasil, também vão querer dividir. Não e Não!!!

  44. NOBRE disse:

    O ministro do Trabalho e Emprego (MTE), esteve em Altamira (PA), para visitar o canteiro de obras da UHE Belo Monte. Na oportunidade,O ministro conheceu as condições de trabalho dos colaboradores do empreendimento e anunciou a criação da Gerência Regional do Trabalho em Altamira, coordenada pela Secretaria de Relações de Trabalho e Secretaria de Inspeção do Trabalho (SIT). Esta nova gerência exercerá o papel de acompanhar permanentemente as condições de trabalho durante todo o processo de construção da usina hidrelétrica. Lupi afirmou que a preocupação do governo é, junto com o empreendedor Norte Energia e o Consórcio Construtor Belo Monte (CCBM), garantir condições adequadas para os trabalhadores e não repetir erros acontecidos em outras obras.
    A chegada do ministro e sua comitiva foi recepcionada no aeroporto pelo Superintendente Diretor de Relações Institucionais da Nobre Empreendimentos, Julio Cesar Schmidt, o Diretor Administrativo do Consórcio Construtor Belo Monte, Marcos Sordi, e o Superintendente Regional do Trabalho e Emprego no Pará, Odair Corrêa. Do aeroporto, o grupo seguiu para o Travessão do km 27, localizado no município de Vitória do Xingu, onde tiveram a oportunidade de acompanhar as obras de acesso ao canteiro do sítio Belo Monte. No canteiro de obras, o ministro teve uma conversa informal com aproximadamente 70 trabalhadores da Nobre Empreendimentos, em que expôs a importância da segurança, da educação continuada e a valorização das relações de trabalho. Na sua fala, o ministro manifestou, com orgulho, o significado dos trabalhadores para o desenvolvimento do país e que, juntamente com a Norte Energia e suas contratadas, estão fazendo parte do maior empreendimento ora sendo realizado.
    De volta a Altamira, o ministro participou da apresentação sobre o projeto Belo Monte, desde o planejamento dos estudos de impacto ambiental até a conclusão da obra e a geração de energia, além da estruturação dos acampamentos dos trabalhadores, incluindo programas de saúde, lazer e alimentação.
    A apresentação, feita pelo Diretor Pimentel, abordou o panorama do setor energético e as metas anuais de geração de energia pelo país até 2020, as diferenças entre os setores energéticos do Brasil e de outros países, apontando a necessidade de se construir uma Usina a fio d’água como a UHE Belo Monte em razão da preservação de áreas indígenas. “O aproveitamento hidrelétrico Belo Monte é, sem dúvida, o aproveitamento inteligente de um rio, que irá gerar energia o ano inteiro e ainda manterá o curso do rio sem alterar seu volume de água na estação seca” declarou. Pimentel também mencionou as modificações no projeto original, como a redução do tamanho da área inundada pela usina que passou de 1.225 km² para 503 km². Pimentel apresentou dados sobre a energia assegurada da usina, desmistificando informações que cercam o empreendimento e informou sobre o cumprimento da legislação ambiental e a importância para o Brasil desta obra que tem 100% de tecnologia nacional.
    A contratação de mão-de-obra e as instalações nos canteiros para os trabalhadores foram pontos pautados na apresentação do Diretor de Administração do Consórcio Construtor Belo Monte, Marcos Sordi. O ministro ficou impressionado ao ouvir que, no pico da obra em 2013, cerca de 20 000 trabalhadores estarão alojados e terão à disposição uma estrutura com cinema, biblioteca, sala de jogos, academia, internet, além de atendimento médico e hospitalar e escolas funcionando dentro das vilas. Em entrevista à imprensa local, O ministro disse estar satisfeito com os resultados da obra até agora: “Pelo que vi, tudo está sendo muito bem feito e, com certeza, Belo Monte será um sucesso” concluiu.

  45. Anônimo disse:

    Sabia que não iam dividir o Pará! Eles só queriam dinheiro!

  46. claudio wagner disse:

    a divisão do pará nada mais é do que interesse político, um interesse privado pra poder obter mais riquezas desviando verbas.
    pra uma cidade se desenvolver, não é necessário ser uma capital como muitos falam, para se desenvolver é necessário uma estrutural gerada por seus próprios prefeitos, vereadores e etc.
    o informação transmitida de forma errada pode geral a ilusão de que os outros municípios do pará não se desenvolvem pelo fato de que belém é visada como a escolhida pra ficar com o dinheiro de todo o estado do pará. esse pensamento esta completamente errado, de que forma belém atrapalha o crescimento dos outros municípios? de que forma os prefeitos planejam e estruturam o governo pra gerar melhoras em cada município?
    o erro não está em belém, mas sim no modo em que as pessoas estão sendo manipuladas de forma errada e sendo conduzida a acreditar em uma falsa informação.
    pense em sua cidade.
    se fosse dividido, e outros municípios menores dos (supostos) estados de tapajós e carajás, seriam bem tratados ou seriam como são os municípios em falta de desenvolvimento por “causa” de belém?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *