Na net, a polêmica sobre o Código Florestal

Debate sobre mudanças na lei e suas consequências está na rede. A seguir, um guia para acompanhá-lo e tomar posição

SOS Florestas: site informativo e atualizado

Por Iara Vicente, colaboradora do Outras Palavras

Muito se tem dito, gritado, protestado e publicado neste último ano sobre os retrocessos que estamos arriscados a sofrer, na legislação ambiental brasileira. Dentre este turbilhão de informações, de todos os níveis de qualidade e orientação ideológica, existem ferramentas virtuais que facilitam o acesso a informações importantes, de fontes diversas, úteis para formar opinião sobre o assunto.

Um deles é o site da campanha SOS Florestas, que reúne notícias atualizadas diariamente, artigos científicos na íntegra e também artigos de opinião (tanto de defensores do Código atual, quanto de entusiastas do relatório de Aldo Rebelo – inclusive alguns artigos do próprio Aldo). Contém também o link para a petição no site da Avaaz, que reivindica dos deputados federais não aprovarem propostas que facilitem o desmatamento. A campanha é mantida por uma série de organizações de cunho ambiental, dentre elas o Greenpeace, o Instituto Centro de Vida (ICV) e o Instituto Socioambiental (ISA). A lista completa pode ser acessada aqui.

A campanha disponibiliza também um vídeo (veja abaixo), produzido em parceria com a Fundação Grupo Boticário, destrinchando a questão. O vídeo chama atenção para aspectos do relatório de Aldo que relacionam-se diretamente com deslizamentos de terra, aumento das emissões de carbono e também para as brechas que a nova legislação abriria.

Há também o blog Código Florestal em Debate, lançado recentemente pelo Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon). Aborda a questão de modo mais denso e técnico. Apresenta, em seções disponíveis no menu superior, tanto a contextualização sobre o impasse na discussão sobre as mudanças no Código, quanto sugestões de diretrizes para o debate e propostas para resolver os problemas das irregularidades relacionadas ao descumprimento da legislação atual. O site abre também espaço para que o leitor proponha soluções alternativas, e se engaje na discussão de forma mais ativa.

Como o debate sobre esta questão é crucial para decidirmos o tipo de padrão produtivo, e mais ainda, o tipo de desenvolvimento que queremos para o Brasil, é importante que os cidadãos tenham acesso a o que está sendo falado no meio científico, dentre @s [email protected] de opinião, e a partir daí assumam uma posição independente e voluntária.

É bom também lembrar que estas propostas do substitutivo proposto por Aldo Rebelo incluem, dentre outras coisas: a anistia a desmatadores, o fim da proteção legal às matas situadas em encostas e topos de morro e também a possibilidade de os Estados autorizarem mais desmatamento em seus territórios. Os ideólogos da bancada ruralista argumentam que estas alterações permitem conciliar produção rural e preservação ambiental. Será mesmo? Leia, debata, pesquise, informe-se e decida se concorda ou não.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

Um comentario para "Na net, a polêmica sobre o Código Florestal"

  1. Mari Lee disse:

    Dia 28/04 haverá manifestações em defesa do Código Florestal em várias cidades, dentre elas São Paulo (concentração na Catedral da Sé, às 11hs), Rio de Janeiro (Assembléia Legislativa, 10hs), Natal (Av. Rio Branco, esq R. João Pessoa, 15hs) e Curitiba (Pça. Santos Andrade, 16hs).
    Mais informações: http://bit.ly/fNzAOy

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *