Outro Lugar: Chapada Diamantina

Da Cachoeira da Fumaça ao pf de Dona Beli e à magia do maracujá. Lembranças e imagens de onde se ouvem todos os silêncios

Por Mariana Caldas, na coluna fotográfica Outro Lugar

Foi tanto o que vivi nessas fotos, que mal consigo encontrar as palavras, mesmo quando tudo o que eu quero é explicar direitinho cada pedacinho de caminho que experimentei nessas águas vermelhas de Oxum.

Só sei que de repente eu estava ali, entregue à imensidão de universos que é a Chapada Diamantina. Respirando a brisa suave da Cachoeira da Fumaça, que de tão alta que é, faz tudo virar arco-íris. E é incrível e mágico como eu simplesmente não queria estar em nenhum outro lugar do mundo em todos aqueles momentos.

O tempo mesmo já nem existia, no sempre igual dos meus infinitos. Porque naquele presente, eu só queria ser. E a minha felicidade consistia em sentir os mesmos gostos, dia sim, dia sim.

Tinha o palmito de jaca, que derretia na boca, a cada fim de tarde. O pf da Dona Beli, que de tanto, era até colorido. E tinha a calçada da Rosa, a cada início de noite, com gosto de pizza de rúcula e suco de maracujá.

Ainda formulo minhas teorias sobre a magia daquele maracujá, que perfumava meus sonhos a cada lua que nascia iluminando o gerais. É que eu sentia um bem. O dia amanhecia e tudo era silêncio. E eu conseguia ouvir todos os silêncios.

Quando dei por mim já não queria mais ir. Só ficar. E ser um pedacinho naquele tanto de tudo e nada. Hoje, encontro meu aconchego nas palavras suaves de Susanna Tamaro, pois “não era alegria o que eu estava sentindo, mas profunda felicidade. Não havia euforia, exaltação, não me sentia melhor, nem pior. O que crescia dentro de mim era apenas uma serena consciência de existir”.

Esse é um trecho do livro Vá Aonde o Seu Coração Mandar, que por ordem do destino, ou sim, foi o único livro que eu levei para as minhas duas semanas de amor na Bahia. E não pense que acabou. Na próxima tem mais.

 

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

4 comentários para "Outro Lugar: Chapada Diamantina"

  1. Me transborda tamanha sensibilidade. O pf e a calçada ficam em Lençois? Qual ou em quais cidades vc ficou?

    • Valéria Cristina disse:

      Ludmila, conheço lá muito bem, é tudo paz! A calçada e PF da dona Beli, estão no Vale do Capão. 70 km pra lá de Lençois, pra quem sai de Salvador. Conheça!

  2. jesssemp disse:

    Obrigado pela bela descrição! Há muito planejo ir à Chapada e cada descrição que leio aumenta a vontade.

  3. JzFloresjz disse:

    Mariana, muito bem vinda ao maravilhoso mundo da Chapada Diamantina.
    o Capão tem suas mandigas e magias, cuidao, ao final corre o risco de nao mais saí desse lugar, como acontece aos muitos desavisados/descompromissados ( fui pra 15 dias, fiquei 2 meses)
    aproveita e vai pra Pati, Cristais… ai mesmo no Capão.
    mas se tiver tempo e disposição dá um chega em umas comunidade quilombolas, Cinzento, Rio de Conta….
    tem igatu, muncungê…
    tem muita coisa por ai.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *