Em Israel, prisão por postar no Facebook

Mais de 400 palestinos presos, denuncia site de Glenn Greenwald. Detenções atingem tanto habitantes de Cisjordânia e Gaza quanto árabes que vivem em território israelense

No Opera Mundi

facebook-israel-police-article-header

Mais de 400 palestinos presos, denuncia site de Glenn Greenwald. Detenções atingem tanto habitantes de Cisjordânia e Gaza quanto árabes que vivem em território israelense

No Opera Mundi

De acordo com uma denúncia feita pelo site de jornalismo investigativo The Intercept, cerca de 400 palestinos foram presos por forças israelenses por atividade em redes sociais desde outubro de 2015.

Autoridades israelenses culpam o Facebook de ter incitado a onda de ataques violentos de palestinos em outubro do ano passado. Desde então, as forças de segurança do país prenderam centenas de palestinos envolvidos com atividades em redes sociais, de acordo com os grupos de direitos humanos Addameer e Adalah. A maior parte das prisões se devem a postagens no Facebook.

Somente neste ano, a procuradoria-geral israelense abriu 155 investigações sob a alegação de incitação por meio de redes sociais. O número representa um aumento com relação aos anos anteriores.

De acordo com o jornal local Haaretz, embora a lei se aplique a todos os cidadãos e residentes, a vasta maioria das punições têm sido direcionadas a árabes que vivem em Israel.

Durante a chamada Operação Margem Protetora, Sohaib Zahda foi o primeiro palestino nos territórios ocupados a ser preso por postagens em redes sociais. Até então, somente palestinos vivendo em Israel tinham sido detidos.

De acordo com Amit Meyer, ex-integrante da unidade militar 8200, equivalente à Agência Nacional de Segurança, a coleta de informações no Facebook era prioridade quando serviu ao Exército de 2010 a 2013. Ele explica que usuários da rede social postam muita informação aberta, o que torna o trabalho de entender as relações palestinas mais fácil.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *