Teatro Oficina convida: vamos resgatar a democracia?

Nesta segunda, em São Paulo, “um grande coro libertário para a criação de novas formas de política”. Ou, em outras palavras, “a felicidade guerreira contra a manifestação apática dos patos”

Por Redação | Foto: Lenise Pinheiro

O teatro Oficina, ou Associação Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona, dirigido pelo celebrado José Celso Martinez Corrêa, reúne na noite desta segunda, 04.04, artistas de teatro, música, cinema, samba, artes visuais, poetas, escritores, cyberativistas, povos de terreiros, arquitetxs e urbanistas, povos indígenas, movimentos de cultura popular, jornalistas, estudantes e professores para celebrar a “felicidade guerreira contra a manifestação apática dos patos”.

A ideia é juntar na sede do grupo no Bixiga, criada pela consagrada arquiteta Lina Bo Bardi – a mesma que idealizou o Masp com seu imenso vão livre, teto de tantas manifestações populares – “um grande coro libertário para a criação de novas proposições políticas em direção à democracia”.

“Vamos nos unir no Teat(r)o Oficina, território de efervescência cultural, pra celebrar a reexistência da liberdade, do afeto e da diversidade, só possíveis em uma sociedade democrática de fato”, afirmam. “Em tempos de ódio, a onda golpista, de aspecto fascista, surfa na mídia hegemônica pra disseminar narrativas de combate à diferença, ao pensamento múltiplo, aos corpos livres, às minorias.”

A iniciativa, além do Oficina, é do Circuito Universitário de Cultura e Arte da União Nacional dos Estudantes (Cuca, da UNE), União Estadual dos Estudantes de São Paulo, Cooperativa de Teatro Paulista, Cooperativa dos músicos de São Paulo e Universidade Antropófaga.

Serviço

Data: Segunda, 4 de abril

Horário: 20H

Local: Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona

Rua Jaceguai, 520 – Bixiga

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *