O Auxílio Emergencial, visto por quem o recebe

Os R$ 600 beneficiaram 66 milhões de brasileiros, evitaram um colapso social e fizeram a Economia girar. No canal Transe, as vozes quase nunca ouvidas de quem o necessita — e a fagulha que se acende pela Renda Básica

66,2 milhões de beneficiários diretos. Mais de 100 milhões de beneficiários indiretos. Pra direita, dinheiro gasto com gente indolente. Pra muita gente da esquerda, “votos de cabresto comprados”. Mas o que essas pessoas que foram beneficiadas pensam? O que elas dizem disso tudo? Esse processo de implantação foi pacífico assim pra implementação ser sem conflitos, sem disputas?

O significado do auxílio emergencial estava em disputa desde a sua origem, em cada etapa de seu calendário de pagamento e ainda está sendo disputado quanto ao valor (se 600 ou 300 reais), condicionalidade, alcance.

As pessoas que recebem o benefício tem algo a dizer: tem direito a ele, vão lutar por ele e vem se movimentando. Alguns deles acreditam que, na verdade, esses sujeitos que fazem a economia girar com o dinheiro na mão são uma solução e não um problema pra nossa economia. Vamos ouvi-los? Ouvir o que acham desse terremoto que aconteceu na sociedade brasileira e afetou metade de sua população? O que acha desse terremoto quem esteve no centro dele e nunca foi ouvido? O que mobiliza a seu favor? É a proposta desse vídeo que apresentamos hoje para o público.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também: