Em defesa da Universidade do Mercosul

170718_universidade-do-mercosul

Retrocesso político coloca em risco a Unila, voltada ao intercâmbio cultural, científico e educacional da América Latina. É possível resistir

Uma petição pública em defesa da Universidade de Integração Latino-americana (Unila), mais conhecida como Universidade do Mercosul, foi dirigida ao Congresso contra a emenda do deputado Sergio Souza (PMDB-PR), que a transforma na Universidade Federal do Oeste do Paraná. A medida acabaria com o projeto acadêmico e político da Unila, de integração com nossos vizinhos, já que prevê paridade de professores e alunos com Paraguai, Bolívia, Argentina e outros países da AL.

“Nosso movimento tem o objetivo de defender a manutenção da Lei de Criação da Unila, sua identidade original e sua missão, que é formar sujeitos aptos a contribuir com a integração latino-americana, com o desenvolvimento regional e com o intercâmbio cultural, científico e educacional da América Latina”, afirma a petição, lembrando que a Constituição brasileira estabelece que o país “buscará a integração econômica, política, social e cultural dos povos da América Latina, visando à formação de uma comunidade latino-americana de nações”.

“A missão da Unila é a de contribuir para o avanço da integração da região, com uma oferta ampla de cursos de graduação e pós-graduação em todos os campos do conhecimento abertos a professores, pesquisadores e estudantes de todos os países da América Latina”, afirma a instituição em seu site. “Como instituição federal pública brasileira pretende, dentro de sua voca­ção transnacional, contribuir para o aprofundamento do processo de integração regional, por meio do conhecimento compartilhado, promovendo pesquisas avançadas em rede e a formação de recursos humanos de alto nível, a partir de seu Instituto Mercosul de Estudos Avançados (IMEA), com cátedras regionais nas diversas áreas do saber artístico, humanístico, científico e tecnológico.”

A América Latina engloba 21 países: Argentina, Belize, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, El Salvador, Guatemala, Haiti, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana, Uruguai e Venezuela.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *