Cinema, Contrapartidas, Cultura

Outros Quinhentos recomenda: Era o Hotel Cambridge é um filme crucial

Premiado longa mistura ficção e realidade para expor as entranhas de uma ocupação no centro de São Paulo. Há ingressos grátis e descontos para quem sustenta Outras Palavras Por Simone Paz Hernández A câmera começa pelas janelas vistas de fora, pequenos fragmentos de vidas, num particular mosaico. Logo, passamos a ver os canos, os cabos, a tubulação suja e úmida, sombria e emaranhada, como dutos que conduzem ao coração do prédio. Da claridade à escuridão. Mas o processo, à medida em que mergulhamos em “Era o Hotel Cambridge“, é exatamente o oposto. Do preconceito que pode existir estando de fora, passa-se ao aconchego, à humanidade e à luz das pessoas que ali resistem e que criaram, com muita luta, um refúgio cheio de arte, acolhimento e fraternidade, a partir de um prédio abandonado. O defunto Hotel Cambridge, que outrora fora símbolo de sofisticação e esbalde paulistano, ganhou nova vida após ser ocupado por brasileiros sem-teto e também por refugiados de variados países, chegados do Congo, da Síria, da Palestina e da Colômbia, entre outros. Um ninho cosmopolita, um abraço amplo e morno para quem vem fugindo de uma guerra, mas que aqui se depara com outra: a da especulação imobiliária. Em certo ponto do filme, é emocionante o depoimento de um morador palestino que diz quão importante para ele é ocupar aquele lugar, pois na verdade, ele e sua terra sempre foram ocupados; logo, ocupar, traz uma força nova, um sentimento de recompensa. Eliane Caffé, a diretora, acerta ao tratar com seriedade e poesia situações que nunca saberemos se foram fantasia ou realidade, que passam pela tristeza e a dor, pelo desespero e agonia, mas também pela ternura e comicidade em outros acontecimentos. Tem-se como resultado uma obra sensível e épica naturalmente, capaz de fazer os discursos de ódio se transformarem em sentimentos de empatia pelas pessoas que habitam e cuidam do Cambridge, enquanto tornam aquele teto seu lar. O filme ganhou prêmios do Festival de San Sebastián, Festival de Rotterdam e da Mostra Internacional de São Paulo; e terá sua estreia nesta quinta-feira 16/03 nos cinemas de São Paulo, Brasília e Recife — com distribuição da nossa parceira Vitrine Filmes. Temos seis pares de ingressos para sorteio em São Paulo, mas também dezenas de flyers para pagar apenas R$6,00 no ingresso no cinema, que você pode retirar diretamente em nossa redação, na Bela Vista (SP). Para participar do sorteio de ingressos grátis, que nós enviaremos por correio, clique aqui ou preencha o formulário abaixo, até as 14h de terça-feira 14/03. Já para combinar de pegar flyers (até 4 por pessoa) em nossa redação, escreva para [email protected]