EUA podem desistir de processar Assange

“Washington Post” especula: governo norte-americano pode ter desistido de encarcerar criador do Wikileaks — mas manteria desejo de punir Snowden e Manning

No Opera Mundi

131129-assange

“Washington Post” especula: governo norte-americano pode ter desistido de encarcerar criador do Wikileaks — mas manteria desejo de punir Snowden e Manning

Em Opera Mundi

O Departamento de Justiça dos EUA estaria a um passo de desistir de processar o fundador do Wikileaks, Julian Assange, pela publicação de documentos considerados secretos, de acordo com reportagem do jornal The Washington Post publicada na segunda-feira (26/11).

O governo norte-americano chegou à conclusão, segundo o Post, de que processar Assange implicaria acionar também na Justiça os jornalistas e empresas de comunicação norte-americanas que divulgaram os papéis. Ele só poderia ser processado caso surgisse outra acusação criminal.

“E, se você não vai processar jornalistas por publicar informação confidencial, o que o departamento não vai, então não há jeito de processar Assange”, afirmou o porta-voz do Departamento de Estado, Matthew Miller.

De acordo com o jornal, o mesmo raciocínio não se aplica ao ex-funcionário da CIA Edward Snowden, tampouco à ex-analista de inteligência das Forças Armadas Chelsea Manning. A diferença, para o governo americano, é que Assange não vazou documentos, somente os publicou – e isso faz diferença ao analisar o caso.

O fundador do Wikileaks está refugiado na Embaixada do Equador em Londres desde o dia 19 de junho de 2012. Ele tenta evitar a extradição para a Suécia, onde responde a um processo por assédio sexual. Assange diz que está sendo perseguido e a ação sueca é só um pretexto para capturá-lo.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *