Sarampo já assusta

“Tragédia” foi o termo usado pela coordenadora substituta do Programa Nacional de Imunização, Ana Goretti, para descrever a cobertura da vacina contra o sarampo no Brasil…

Essa e outras notícias você confere aqui embaixo, onde publicamos todo o conteúdo da newsletter de hoje. Ela traz os temas mais importantes dos principais veículos nacionais e internacionais. Espia só.

(Quer se inscrever e receber  de manhã cedinho por e-mail? Clique aqui)

Se inscreveu e não recebeu? Dá uma olhada na sua caixa de e-mail. A news tem ido parar na aba “promoções”.

SARAMPO JÁ ASSUSTA

“Tragédia” foi o termo usado pela coordenadora substituta do Programa Nacional de Imunização, Ana Goretti, para descrever a cobertura da vacina contra o sarampo no Brasil: há poucos locais em que mais de 80% da população já tenha tomado pelo menos a primeira dose.

Em Roraima, uma menina venezuelana de quatro anos morreu na semana passada e, agora, já são seis casos confirmados e 24 sob suspeita. Este sábado vai começar uma campanha no estado e devem ser vacinadas, em um mês, 400 mil pessoas – 300 mil brasileiros e 100 mil venezuelanos.

Segundo o Estadão, Ricardo Barros afirmou ontem que pode abrir edital extraordinário do Mais Médicos para contratar venezuelanos. Vai depender se  quantidade dos já existentes dá conta das necessidades, principalmente nesse estado, onde há muitos imigrantes. Já O Globo informa que o ministro “descartou a vinda desses profissionais para o país”. A Agência Brasil diz quejá há médicos venezuelanos inscritos no programa com disposição para atuar em Roraima, mas “a medida ainda está sendo analisada pois, conforme o ministro, falta que o estado e os municípios criem condições para recebê-los”

FEBRE AMARELA

Médicos de todo o país vão receber cartas do Ministério da Saúde, numa estratégia para tentar combater a desinformação. Isso porque, como também alerta Goretti, são muitos os profissionais de saúde que desconfiam da dose fracionada da vacina.

A vacina não foi culpada por pelo menos uma das mortes atribuídas a ela. Pesquisadores da USP constataram: uma senhora que começou a passar mal no dia seguinte à imunização já estava, na verdade, infectada antes de se vacinar.

Balanço dos casos: O número de mortes em Minas subiu para 108, em 320 casos confirmados. E o Rio Grande do Sul confirmou seu segundo caso da doença – assim como a primeira vítima, esta também contraiu o vírus em viagem a Minas Gerais, e ambos já passam bem. Em São Paulo, o vírus pode estar se espalhando pela baixada santista, que tem a menor cobertura vacinal do estado (e também uma grande circulação de turistas, o que é especialmente preocupante). Foram encontrados dois macacos mortos na região, mas a causa ainda não foi confirmada. E, na capital, a prefeitura expandiu a vacinação para Itaim Bibi e Morumbi.

ZIKA

Foi desenvolvido um novo teste para detecção que, segundo os cientistas, é melhor e mais barato. Ele descobre o vírus até meses após a infeção (com o teste atual, são semanas) e apresenta uma taxa pequena de falsos positivos.

O DIA A

Na Argentina, 71 deputados assinaram e apresentaram ontem um projeto para a descriminalização do aborto. Ainda este mês vai ser definido um cronograma de trabalho, mas, claro, as coisas não são fáceis. Um ‘contraprojeto’ também foi apresentado por um grupo menor, de 15 deputados. O título: “Lei de proteção integral aos direitos humanos das mulheres gestantes e das meninas e meninos por nascer”, definidos como tais desde “o momento da concepção ou fertilização do óvulo”. Uau (já vimos algo assim por aqui, não é mesmo?). O senador Esteban Bullrich, ex-ministro da educação, propõe que se permita a adoção de embriões (!).

180 MORTES NADA NATURAIS

Na África do Sul, foi descoberto que o surto de listeriose que matou quase 180 pessoas no ano passado (e deixou outras 800 doentes) teve suas raízes na indústria alimentícia. O Ministério da Saúde revelou que a fonte da bactéria foram salsichas produzidas por uma unidade da Tiger Brands, o maior grupo de empresas de alimentos do país. O Le Monde francês entrevistou Lawrence Mac Dougall, diretor executivo da companhia, que recusa as conclusões. “Não estou ciente de nenhum link direto entre as mortes e nossos produtos. Não há nada, nada”.

PERSEGUIDO PELO AÇÚCAR

Tudo começou com um tweet do pesquisador Timothy Noakes afirmando que bebês só precisavam consumir leite materno e uma dieta de baixo carboidrato. Por conta disso, ele enfrentou um processo de três anos, acusado por organizações e profissionais que tinham relações muitíssimo estreitas com a indústria do açúcar. Como bom cientista, Noakes respondeu com… ciência, claro. E um livro de quase 500 páginas. Essa história está contada aqui, no site O joio e o trigo.

COMO PODE?

blog do Institute for New Economic Thinking analisa a história da indústria farmacêutica cubana ligada à biotecnologia que, apesar das adversidades, é gigante. Enquanto a economia geral do país vai mal, esse setor (com financiamento totalmente público) cobre 60% do consumo interno e ainda exporta para mais de 50 países. “Se Cuba tivesse sido forçada a adquirir a maioria dos produtos médicos necessários pelos preços internacionais atuais – em vez de desenvolvê-los por conta própria – não teria sido capaz de alcançar seus extraordinários avanços de saúde a um custo relativamente baixo. Não importa o quão bem intencionado o governo tivesse sido em relação à saúde pública, não teria podido subsidiar os medicamentos essenciais de um país inteiro. Cuba, obviamente, seguiu um modelo diferente, priorizando a inovação e a produção domésticas”, diz o texto, que destaca a importância do investimento público em educação, pesquisa e inovação.

.

INVESTIGAÇÕES

O MPF e a Anvisa estão investigando os contratos de compra de quatro remédios para doenças raras, pedidos pelos pacientes na justiça. É que, com custos altíssimos para o poder público, as entregas estão atrasadas desde o fim do ano passado. A distribuidora Global Gestão em Saúde recebeu quase R$ 20 milhões pela compra de três medicamentos, mas não os distribuiu aos 152 pacientes; já a Tithopharma LLC, responsável pela distribuição do quarto remédio, não apresentou a documentação necessária para a importação.

Falando em investigação, a Anvisa confirmou que os lotes do quimioterápico Sutent, suspeitos de falsificação, eram mesmo de mentira. Serão apreendidos e inutilizados 11 lotes.

DEPUTADOS X ANVISA

A Câmara pode sustar uma resolução da Anvisa sobre agrotóxicos. No ano passado, a agência proibiu o uso no país de produtos contendo a substância paraquate, com a justificativa de que o seu manuseio é perigoso e pode causar a doença de Parkinson. O projeto para voltar a permitir o paraquate é do deputado Luis Carlos Heinze (PP-RS).

TRANSPLANTE DE RINS DOENTES

Nos EUA, 10 pacientes que precisavam de transplantes de rim concordaram em participar de um experimento que, por sorte, deu certo. Eles receberam órgãos infectados com hepatite C. Os doadores (que tinham a doença) tomaram a medicação anti-hepatite C antes da cirurgia, os pacientes transplantados seguiram com o tratamento por mais 12 semanas… e nenhum adoeceu. Ainda é preciso fazer outros testes. mas a expectativa é boa, porque só naquele país são descartados anualmente 500 rins infectados devido ao risco.

MUITO AJUDA QUEM NÃO ATRAPALHA

Pesquisadores do Reino Unido acompanharam mais de 400 mil homens em cinco anos e atestam: rastrear câncer de próstata sem que haja sintoma de câncer não diminui em nada o número de mortes. E ainda gera intervenções desnecessárias, porque alguns cânceres em estágio inicial simplesmente não evoluem. O diagnóstico leva os homens a tratamentos cheios de efeitos colaterais que, no fim das contas, não teriam sido necessários.

PERFIL

El País publicou hoje o perfil de Françoise Barré-Sinoussi, a francesa que descobriu a o HIV há mais de 30 anos. Na época, havia 50 pessoas identificadas com os sintomas da Aids na França e não se fazia ideia de sua dimensão.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos