Automóveis: a GM perde; a Toyota, também

A situação das empresas norte-americanas é desesperadora, mas o setor vai mal em quase todo o mundo

A sangria da General Motors continua. A empresa anunciou, esta manhã, que perdeu mais 9,6 bilhões de dólares no último trimestre de 2008, acumulando uum prejuízo total próximo a US$ 31 bi, no ano. Talvez para reforçar a busca por recursos públicos, a própria direção da GM admitiu que, diante dos números, os auditores poderão questionar a viabilidade da companhia. Nos dois últimos anos, ela demitiu 92 mil trabalhadores; em 2008, quando completou um século de existência, perdeu, pela primeira vez em sete décadas, a liderança mundial na produção de automóveis.

A maior produtora é, agora, a japonesa Toyota. Também ontem, porém, a agência Kyodo antecipou que a nova líder anunciará oficialmente, nesta sexta-feira (27/2), que reduzirá sua produção em 10%, ao longo do ano fiscal que começa em 1º de abril próximo. Entre as medidas a ser anunciadas está um novo período de férias coletivas gerais, no Japão (para desovar parte dos enormes estoques).

TEXTO-FIM
The following two tabs change content below.

Antonio Martins

Antonio Martins é Editor do Outras Palavras