Os ratos de Pavlov e o galeão Brasil

Sinais de mais crise à vista: aplicadores na bolsa fogem das ações de empresas ligadas ao mercado interno – e se concentram nas exportadoras. Vaticínio é claro: economia continuará afundando, país se reduz a produtor de primários

Certas espécies são afamadas pelo faro apurado e por um instinto de sobrevivência ultra aguçado. Daí a popular imagem dos ratos que lideram o abandono de naus em risco.

No caso dos roedores treinados por Homer Cado, à sensibilidade nada solidária com a tripulação humana soma-se o comportamento de manada. Corre o primeiro em direção à escotilha, correm todos — como mostra matéria da jornalista Tássia Kastner, publicada hoje na Folha. Reproduzo os trechos essenciais:

“A alta da Bolsa brasileira em 2019, agora um pouco espremida pela recente turbulência política, mascara um pessimismo com a recuperação econômica do país, que já vem desde o início do ano.

Ao longo dos últimos meses, os investidores estão trocando de posição. Eles passaram a vender papéis de empresas de consumo ou focadas no mercado interno e estão comprando ações principalmente de exportadoras, em especial de commodities.

A alta do Ibovespa, principal índice acionário do país, que renovou máximas históricas desde a virada do ano, não foi disseminada de forma equânime. Entre as principais companhias que se valorizam e sustentam o índice estão justamente as ligadas à exportação e ao setor de energia.

No grupo das que amargam perdas, predominam as ligadas ao setor de consumo, dependentes, portanto, da recuperação da economia.

A lanterninha entre as empresas é a Lojas Americanas, acompanhada ainda de B2W, CVC, Hypera e administradoras de shoppings, como Iguatemi, BR Malls e Multiplan.”

Como a crença inabalável entre os murídeos rentistas é nas tais “expectativas”, nada mais autorrealizável do que a recessão econômica, se os “agentes” já partem da idéia da estagnação “contratada” e deslizam céleres pelo cordame do galeão fretado por Messias, Ipiranga&Co.

Conosco, os brasileiros, a bordo e a ferros no porão.

Gostou do texto? Contribua para manter e ampliar nosso jornalismo de profundidade: OutrosQuinhentos

Leia Também: