Quatro textos para refletir sobre espetáculo do “Mensalão”

Um julgamento ético ou um ataque os direitos constitucionais, tendo como alvo apenas um dos grandes partidos?

Por Hugo Albuquerque

O julgamento do mensalão, que se arrasta desde agosto deste ano, torna-se um motivo cada vez maior de controvérsias: a condenação de muitos dos réus sem provas cabais, e com atuações dos ministros bem gosto do teatro midiático, somado à coincidência da votação em plena época eleitoral levantam dúvidas sobre a lisura do processo. A respeito disso, o jornalista Paulo Moreira Leite questiona a tese do pagamento de propina para a compra de votos, uma vez que a agenda do governo nos seus primeiros anos foi profundamente conservadora — e mais parecida com a agenda dos partidos supostamente comprados do que a do próprio PT. Ele também critica a retórica do ministro relator do processo Joaquim Barbosa, em cujas falas inflamadas vê a  criminalização, antes de mais nada, a própria política. Como o jurista Pedro Serrano sublinha, a forma que o processo do mensalão é abordada no STF leva a uma suspensão prática de direitos e garantias constitucionais, tornando-o um tribunal de exceção. Por sua vez, Luis Nassif tece criticas à politização do Ministério Público Federal, na figura do Procurador Geral Roberto Gurgel e como isso estaria influindo na violência punitivista do julgamento.

TEXTO-FIM

25 ideias sobre “Quatro textos para refletir sobre espetáculo do “Mensalão”

  1. O Brasil tem homens e mulheres de Bem, comprometidos com a decência, a ética e a moral nesse país, como os ministros do STF . O Brasil não pertence aos bandoleiros, assaltantes de colarinho branco que sustentam a tese de que o mensalão…”foi uma tentativa das elites pra desestabilizar o meu governo…” como sustentava o ex- presidente ( ex, graças a Deus)…O Brasil mudou e não tem mais lugar pra essa gente do mal, representado por esse partido político chamado PT… Desejo sinceramente que toda essa corja vá pra cadeia, e se possível, tb o chefe dessa matilha chamado Lula…é uma questão de tempo…e os brasileiros do Bem não tem pressa nenhuma…

  2. O que é engraçado nisso tudo, é que nos últimos tempos nada tinha acontecido neste país, até mesmo o Malluf que foi comprovado que roubou milhões dos cofres público foi libertado pelo STF, existem provas documentadas e registradas pelo autor do livro privatarias tucanas, que foi um dos maiores assalto deste país, e também foi um crime praticado antes deste mensalão, agora com a chegada deste livro a mídia se levanta com esse poder mediático pra cima do único partido que trouxe todas as mudanças para este país, o que me deixa indignado é ela fazer um levante acusando todos do PT, generalizando como se dois ou três ou seja vinte fossem a liga inteira desse partido que é feito por milhares de homens e mulheres que merecem respeito.

  3. Muito bonito, mas o PT deixou de ser um partido de trabalhadores quando vendou-se ideologicamente por um projeto de poder! O que está em julgamento é só a ponta do iceberg de um sistema político corrompido, do qual o referido Partido não é o único a partilhar. Agora, não sei se por azar ou sorte, está sendo o único a ser julgado por isso! Quiçá, esta é a nossa esperança enquanto cidadão, sejam o primeiro de muitos a serem punidos!

    • Os outros nao serao punidos senhor cachias, tenta entender, OS OUTROS PARTIDOS NUNCA SAO PUNIDOS, consegue entender o por que, ou seria muito para seu cerebro de repolho.

    • Quando o poder judiciário se exerce enquanto tal. Não foi o caso do STF que mesmo sem "ato de ofício", alguns Ministros estão a condenar os réus com objetivos nitidamente políticos…O STF não está correspondendo ao Estado Democrático de Direito.

    • Interessante esse argumento quando é feito por alguém que tece acusações sérias a um Ministro do STF, insinuações e imputações relativa a moral, ética e probidade de um membro da suprema corte tão somente por ele não votar como você gostaria.

      • O problema do STF, não é não votar como “a gente quer”! É não votar como a Constituição manda!É isso que está acontecendo! Estão desrespeitando a Constituição Federal para efetivar condenações por razões políticas!

    • Tem não, amigo! E não sou eu quem diz. Até a OAB já se pronunciou a esse respeito! E vários juristas estão escrevendo sobre isso. Vou citar dois que me lembro agora: Dalmo Dallari e Bresser Pereira; e olha que Bresser já foi ministro de FHC!

  4. Acho normal que se tente defender correligionários. Não sei se é imngenuidade ou má fé, acreditar que o Sr.José Dirceu, o responsável articulador político da base aliada, por sua função de servidor público, não soubesse de nada que estava acontecendo a respeito dos repasses. A invocada teoria do Dominio do Fato não fere de forma alguma a constituição brasileira. Tentemos ser serenos. As provas nos autos são inúmeras. Na última sentada a atuação do Ministro Lewandovski foi pífia, contraditória, limitou-se a atacar (prerrogativa legal sua) o Ministério Público e o réu Roberto Jefferson, invocar inocentemente a pobreza do Genoíno. Repetia ad nausea “não existe provas nos autos”.
    O Genoíno e o Delúbio participam do mesmo partido, da mesma diretoria, como um põe sua assinatura num aval de empréstimo sem saber de nada?
    Me engana que eu gosto.

  5. Eu votei PT, nas duas eleições, não me arrependo, moro no nordeste e vi muita coisa boa acontecer, aqui não se esta julgando o partido, e sim os “homens” que o dirigem, tem que se por um fim a essa bandalheira, parabéns ao ministro Joaquim Barbosa, e meus pêsames, para o outro, falei e disse.

  6. Ainda bem que vivemos em uma democracia: o partido no poder é o PT; o Procurador Geral da República, Roberto Gurgel, foi indicação do PT; e o julgamento é público. Então, buana, tá reclamando do quê?

    O país vem melhorando nos últimos 20 anos. Amadurecendo e se tornando cada vez mais plural. Então, o que ficou claro com esse julgamento, é que o mau-caratismo não é exclusividade “dos outros”. O PT mostrou os seus pés de barro e é tão “humano” como todos os outros partidos.

    Lei é lei e deveria ser igual para todos! Os “amigos do rei” não podem ficar acima dela. Se houve algo a se lamentar nessa história toda, foram os votos do Ministro Lewandovsky e do Ministro Dias Toffoli, notadamente influenciados por razões políticas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *