Outras Palavras prepara Outros Quinhentos-2016

151024-Mídia

Começa em novembro nossa campanha para financiar, de forma autônoma, jornalismo de profundidade. Por que ela é essencial. Quais as novidades

Por Antonio Martins | Imagem: Henrietta Mantooth, La Rosa/Los Zapatistas

Nosso jornalismo de profundidade, nosso esforço por enxergar e descrever um mundo em transe, com olhos de quem quer transformá-lo, vai convocar sua participação de novo. Começa na primeira semana de novembro o terceiro ano de Outros Quinhentos – o programa por meio do qual os leitores envolvem-se na sustentação de Outras Palavras e asseguram sua independência.

Há novidades. Para garantir a existência do site em 2016, vamos manter o apelo a contribuições regulares dos que já conhecem e valorizam nosso trabalho. A estes, continuaremos oferecendo singelas contrapartidas, graças à ampliação de nosso circuito alternativo de distribuição de produtos culturais e da Economia Solidária. Além disso, criamos uma nova modalidade de apoio: colaborações instantâneas, para quem ainda não optou por criar vínculos conosco.

Nosso orçamento para 2016 prevê que produzir Outras Palavras custará R$ 238 mil. É irrisório, se comparado, por exemplo, com os gastos da velha mídia – cuja precariedade editorial parece cada vez mais espantosa. Em 2014, só o governo federal destinou às TVs, rádios, revistas e portais de internet R$ R$ 2,3 bilhões, em publicidade oficial. O montante gasto a cada 24 horas seria suficiente para manter nosso trabalho por 26 anos1. As benesses das empresas privadas não são menos expressivas. Basta ver, num exemplo trivial, o volume de propaganda de automóveis, bancos, operadoras de telefonia celular e planos de saúde nos jornais, revistas e TVs – e refletir sobre a quase completa ausência de críticas a estes produtos e serviços, nas mídias tradicionais.

* * *

Lançado em novembro de 2013, Outros Quinhentos é um caso bem-sucedido de financiamento autônomo das mídias alternativas. No primeiro ano, permitiu arrecadar R$ 40 mil. Em 2014-15, este valor saltou para R$ 140 mil – ou 71% dos R$ 196 mil que devemos consumir, até dezembro2. A diferença foi coberta por receita de publicidade tradicional. Em 2016, queremos depender ainda menos de outras fontes de ingresso. Dos R$ 238,8 mil que planejamos gastar3, R$ 210 mil – ou 87,5% – virão de contribuições solidárias, por meio de Outros Quinhentos.

TEXTO-MEIO

Nossa meta é que a modalidade de financiamento colaborativo já testada – contribuições de R$ 12, 25, 60 ou 200 mensais, que também podem ser feitas por meio de doações únicas de R$ 120, 250, 600 ou 2.000 – arrecade R$ 75 mil. Hoje, 504 pessoas colaboram regularmente com nosso trabalho. Queremos que este número chegue a mil, em 2016.

Aos que se comprometem conosco, oferecemos recompensas simbólicas – porém significativas. Enviamos sacolas ecológicas, camisetas e livros. Asseguramos, em nossa livraria virtual, descontos expressivos, que podem chegar a 60%, no caso de editoras como a Boitempo. Brindamos gratuidades em cursos que oferecemos em nossa sede. Sorteamos outros livros, ingressos de cinema e teatro. Convidamos para sessões de cine-debate.

Vamos ampliar e diversificar este tipo de contrapartida. A partir de 1º de novembro, dois restaurantes em São Paulo – o Soteropolitano (comida baiana) e o Hoje Tem (orgânico/integral/natural) – oferecerão descontos (de 50%) ou gratuidades (para quatro pessoas por semana) aos participantes de Outros Quinhentos. É só o começo. Também na primeira semana de novembro, abriremos inscrições para novos empreendedores alternativos que estejam interessados em estabelecer parcerias com Outras Palavras.

A base para tanto é inovadora, porque não-mercantil. Outras Palavras oferece algo que, à primeira vista, parece um contrassenso: espaço publicitário gratuito. Dialogamos, todos os dias, com cerca de 15 mil pessoas, muito interessadas em se informar sobre o trabalho de produtores culturais e da Economia Solidária. Nada cobramos em dinheiro, para os anúncios que estampamos nesta condição.

Mas pedimos contrapartidas: os próprios produtos ou serviços oferecidos pelos parceiros. E distribuímos o que arrecadamos entre quem contribui regularmente com Outros Quinhentos. Pode chamar de publicidade solidária, anúncios Robin Hood ou qualquer outro nome. Hoje, é raro. Um dia, esta relação de gratuidade e reciprocidade poderá se tornar normal. É por isso, também, que lutamos.

Muitas das pessoas que se interessam por Outras Palavras e desejariam participar de sua sustentação não querem, neste momento, assumir compromisso mensal. A segunda grande novidade de Outros Quinhentos em 2015-16 é abrir caminho para este outro tipo de apoio. Nossa inspiração, para isso, é a Wikipedia – quem sabe, a maior conquista civilizatória do século XXI, até agora… Em alguns dias, quando a nova temporada de nosso programa de sustentação autônoma estiver no ar, será possível fazer, além de contribuições regulares, pagamentos avulsos de R$ 15, R$ 40 ou R$ 70. Quem nos presentear com tais doações não terá vínculos com Outros Quinhentos, nem direito a contrapartidas materiais – mas será muito bem-vindo, como alguém que ajudou a manter nosso trabalho por meio de uma modalidade de apoio mais fugaz.

Dos R$ 210 mil que pretendemos arrecadar, esperamos que R$ 75 mil venham por meio de novos colaboradores regulares; e R$ 75 mil, na forma de contribuições pontuais. Os R$ 60 mil que faltam serão provenientes, segundo nossos planos, de Coletivos Especiais de Colaboradores. A busca de Outras Palavras por profundidade tem feito o site conhecido e respeitado, também, por pessoas e instituições que estão em condições de participar com fatias mais expressivas, em nosso projeto de sustentação. Queremos dialogar ativamente com este público, apresentando-lhe, inclusive, nossos planos futuros e possibilidades de parcerias. Alguém disse, certa vez, que a humanidade futura deveria estabelecer, como regra distributiva, uma máxima: “de cada um segundo suas possibilidades, para cada um segundo suas necessidades”. Agrada-nos praticar isso desde já.

* * *

A reinvenção do jornalismo levará décadas – mas já há um caminho claro para ela. Tem a ver com o surgimento de uma nova cultura política. Implica desintermediações. Num futuro desejável, exercer o jornalismo, participar ativamente da narrativa de nosso tempo, será tarefa e aventura de [email protected]. Chegar a tanto, porém, é muito mais complexo que oferecer a cada um e a cada uma a possibilidade de criar um perfil numa rede social. Exige construir – de modo coletivo, compartilhado e agora menos hierárquico – visões de mundo, éticas, projetos de sociedade, estratégias, táticas.

Outras Palavras pensa estar contribuindo para isso. Muitas vezes, o indispensável é simplesmente resistir. Manter, num Brasil assolado pelo conservadorismo, um site crítico, não-panfletário, independente e aberto para temas às vezes esquecidos ou negligenciados – tanto pelas mídias convencionais quanto pelas governistas – exige esforço e compromisso permanentes.

Porém, não nos seduz a perspectiva da mera resistência. Temos desejos de expansão. Queremos montar a Escola Livre de Comunicação Compartilhada – que permitirá formar novos jornalistas (detentores ou não de diplomas) para as novas mídias que estamos construindo. Pensamos formar, com um grupo seleto de parceiros, de perfil em sintonia com o nosso, uma rede internacional para compartilhamento não-mercantil de material informativo e analítico. Ensaiamos os primeiros passos em produções de vídeo e áudio. Estamos sempre desejosos, porque incompletos.

Mas, para avançar, precisamos estar vivos. Outros Quinhentos é nossa forma de fazê-lo sem perder a autonomia e a profundidade jamais. Contamos com você, a partir do início de novembro.

Orçamento Outras Palavras – 2015-2016
(Números gerais – em R$ 1000)

2015

2016 (previsão)

Salários

147,1

186,2

Aluguel

13,2

13,5

Hospedagem site

8,4

10,2

Contabilidade

6,7

6,3

Serviços Financeiros

7,6

8,2

Tributos Diretos

6,2

6,9

Outros

6,8

7,5

TOTAL

196,0

244,8

1Desde março de 2010, quando começou a existir, Outras Palavras, assim como inúmeras outras publicações independentes, nunca recebeu um real de publicidade da União.

2A audiência média do site é de 15 mil textos/dia. Em termos hipotéticos, para que Outras Palavras mantivesse seu padrão atual, bastaria que cada leitor contribuísse com R$ 0,03 por texto lido.

3Nosso orçamento para 2016 é 21,15% superior ao de 2015. O aumento visa fazer frente a inflação e melhorar as condições de trabalho da Redação. Prevemos elevar os vencimentos da equipe em 20% (estão inalterados há dois anos) e dar um primeiro passo para deixar a informalidade, pagando 13 salários anuais. Hoje, o maior ordenado da redação é de R$ 5,4 mil mensais.

TEXTO-FIM
The following two tabs change content below.

Antonio Martins

Antonio Martins é Editor do Outras Palavras