Contrapartidas, Livros

Lançamento de livro sobre espoliação alemã no Brasil, tem exemplares grátis para colaboradores de Outros Quinhentos

Nesta quinta (14/7) é lançada obra reveladora sobre a atuação desonesta de empresas alemãs no Brasil há décadas. Livro sai grátis para quem financia Outras Palavras

Por Simone Paz Hernández | Na imagem, o ditador Ernesto Geisel com o presidente alemão Walter Schell, em 1978

Saiu do forno mais um belo trabalho feito entre as editoras parceiras Elefante e Autonomia Literária, com apoio da Fundação Rosa Luxemburgo e da ONG Medico Internacional: “Empresas Alemãs no Brasil: o 7×1 na economia”, do jornalista e ativista alemão Christian Russau.

O lançamento ocorre amanhã, quinta-feira 14 de setembro, às 19h, na casa que abriga a redação de Outras Palavras: o Ateliê do Bixiga (R. Conselheiro Ramalho, 945 – Bixiga – São Paulo), e conta com organização — além das editoras e fundações já mencionadas acima — do grupo ativista Vigência.

No debate, teremos a presença do autor e de Lúcio Bellentani, ex-dirigente sindical da Volkswagen e ex-preso político; além da mediação de Verena Glass, da Fundação Rosa Luxemburgo.

O livro sai grátis para membros de nosso financiamento coletivo, Outros Quinhentos: basta retirar seu exemplar no evento. Mas, se você não estiver em São Paulo, pode adquirir o mesmo em nossa loja virtual Outros Livros, pagando apenas o custo do frete (peça o seu aqui).

Outros Quinhentos é um mecanismo de doações constantes, um esforço coletivo de nossos leitores, criado por nós para viabilizar o projeto editorial independente de Outras Palavras. Saiba como colaborar aqui:

Já para saber mais sobre o livro, leia matéria de Tadeu Breda, editor da Elefante, publicado em Outras Palavras: http://outraspalavras.net/uncategorized/a-opressao-oculta-das-empresas-alemas/
A seguir, um trecho:

Num primeiro momento, a obra investiga as parcerias amorais entre Brasil e Alemanha, expressas no comércio de armas e no treinamento militar (capítulo 1) e na tecnologia nuclear (capítulo 2), nas quais as violações de direitos humanos têm sido consideradas uma espécie de dano colateral inevitável de importantes negócios.Russau explica, por exemplo, por que uma técnica policial conhecida como “caldeirão de Hamburgo”, proibida pelos tribunais alemães, foi usada pela PM paulista na repressão aos movimentos que protestavam contra a Copa do Mundo, em 2014. E rastreia como, ainda durante o governo Getulio Vargas, ex-cientistas nazistas proveram o país de reatores.


LANÇAMENTO E DEBATE
Empresas alemãs no Brasil: o 7×1 na economia
De Christian Russau, que debaterá com Lúcio Bellentani, ex-metalúrgico da Volks
Quinta, 14 setembro, às 19h
Rua Conselheiro Ramalho, 945, Bixiga, São Paulo

Author


Avatar