(11) 4117 9264
Contrapartidas, Cultura, Música

Dois shows na mesma noite com o mesmo ingresso para assistir o encontro de Tássia Reis e Baco Exu do Blues. Contribuintes de Ouros Quinhentos concorrem a dois pares de ingressos.

Por Casa Natura Musical

No sábado, 18 de agosto, às 22h, a Casa Natura Musical celebra mais uma edição do projeto Frequências, com dois shows diferentes na mesma noite e apenas um ingresso: Tássia Reis e Baco Exu do Blues. O projeto Frequências promove o encontro de artistas que admiram o trabalho um do outro, mas transitam em outras searas musicais, muitos deles jovens artistas que tenham algum tipo de interlocução entre si, mesmo atuando em cenas diferentes. As primeiras edições do projeto reuniram o vocalista da banda BaianaSystem Russo Passapusso e o rapper paulista Rico Dalasam e o cantor paraense Jaloo e a banda Aeromoças e Tenistas Russas.

Tássia Reis

Nascida em Jacareí, interior de São Paulo, Tássia Reis iniciou sua vida artística, ainda adolescente, apresentando-se em um grupo de danças urbanas. Em 2009, compreendendo que o seu caminho estava diretamente ligado à música, começou a compor e, três anos depois, subir aos palcos. Nessa época, realizou parcerias com Rashid, AXL, Mental Abstrato e Marcelo D2. Aos 20 anos, mudou-se para a capital e colocou em estúdio a canção Meu Rapjazz. Lançada na internet, com aceitação imediata, a música ganhou um videoclipe próprio, concentrando um alto número de visualizações. Este show na Casa Natura Musical será em celebração ao aniversário de cinco anos deste seu primeiro grande sucesso.

Tássia apresenta o show Outra Esfera, nome do seu segundo e mais recente disco, que marcou presença nas listas de Melhores de 2016, em veículos como Rolling Stone, Billboard, UOL e portal RedBull. Com letras fortes e beats pesados, Tássia dá voz a questões, constantemente, silenciadas. Isso fica evidente em músicas como Ouça-Me, Afrontamento e Da Lama. Também há espaço para assuntos do coração, dentro da narrativa poética, com a sensual Perigo, a tranquilizadora e aconchegante Se Avexe Não e a libertária

Baco Exu do Blues

Acompanhado pelo DJ Bebezão e pela segunda voz de Shan Luango, Baco apresenta na Casa Natura Musical o show do álbum Esú, considerado um dos melhores discos de 2017. O repertório, praticamente todo de sua autoria, inclui pérolas como Tropicália, O Culto, A Pele que Habito, Te Amo Disgraça e Facção Carinhosa.

Salvador, a Acrópole negra, onde o karma de todos os Santos se encontram, o profano e o sagrado se confundem e o amor e a desgraça tem um caso. Nesse cenário entre o Olimpo e os terreiros, ‘Diogo Moncorvo’ renasce em Baco Exu do Blues, carregando consigo uma escrita pesada e polêmica, mas baseada em suas verdades. Utiliza de absurdos e ironias para expressar dilemas pessoais entre questões sociais, fazendo de sua música um manifesto em prol de minorias.

Em 2016, Sulicídio representou para a cena do hip-hop brasileiro a quebra de um padrão arraigado, despontando novas perspectivas para o rap nacional. Com uma poesia que não se enquadra nos moldes convencionais, Baco lançou 999 e Tropicália, abrindo caminho para participações em projetos como Expurgo e Poetas no Topo 2. Um ano após surgir no cenário nacional, surpreendeu a todos com o lançamento do interlúdio En Tu Mira, faixa integrante do seu álbum Esú, onde aborda a doença do século em sua forma mais pura e sincera.

Esú traz a história de um personagem em transição, que passa por diversas provações, da depressão ao gozo. Autoestima, individualidade, onipotência, luxúria, sincretismo e empoderamento negro são temas recorrentes no álbum. “Metade homem, metade Deus e os dois sentem medo de mim”, cita Baco na faixa que leva o título da obra, mostrando o encontro da fragilidade divina e a força humana. Uma viagem sinestésica, passando pelas ladeiras de Olinda, com o batuque do Maracatu, pelo carnaval de rua com o choro da guitarra baiana, até as nossas matrizes africanas, com cânticos em Iorubá e batuques dos atabaques do candomblé.

Tássia Reis e Baco Exu do Blues

Projeto Frequências: dois shows na mesma noite

Quando: sábado, 18 de agosto, às 22h30

Abertura da Casa: 20h

Ingressos:

Meia-entrada para todos os setores

Pista: R$ 60 (lote 1) e R$ 80 (lote 2)

Bistrô superior: R$ 120

Camarote: R$ 120

Lotação para este show: 710 lugares

Classificação etária: 12 anos (menor de 12 acompanhado pelos pais ou responsáveis)

Casa Natura Musical

Rua Artur de Azevedo, 2134, Pinheiros, São Paulo

Ingressos sem taxa de conveniência na bilheteria da Casa

Ingressos podem ser pagos com dinheiro, cartões de crédito e débito

Horário da bilheteria: de terça a sábado, das 12h às 20h. Segundas e domingos, quando houver show. Em dias de espetáculo, a bilheteria fecha mais tarde, até uma hora após o início da apresentação.

Outros Quinhentos e Casa Natura Musical sorteiam dois pares de ingressos os show de Tássia Reis e Baco Exu do Blues sábado, dia 18 de agosto. Para participar precisa ser contribuinte de Outros Quinhentos e se cadastrar no formulário abaixo até as 23h de 26/07, quinta-feira.

0

Contrapartidas
Obra traz um diagnóstico essencial para compreender os efeitos das políticas de “austeridade” e da Emenda Constitucional 95, no Brasil. Contribuintes de Outras Palavras concorrem a cinco exemplares 

Por Laura Carvalho

“A austeridade compromete o futuro das próximas gerações, aumenta a desigualdade social e destitui direitos dos cidadãos. Atuando de forma seletiva e sexista, transborda seus efeitos negativos para a saúde dos indivíduos e colabora para a degradação do meio ambiente. Em um país ainda tão desigual como o Brasil, tal opção política compromete o papel redistributivo da política fiscal, ao exigir reformas profundas e cortes drásticos nas despesas públicas. Com a atual estrutura de gastos públicos, o Brasil é o país que mais reduz a desigualdade na América Latina por meio de transferências e outros gastos sociais, compensando uma carga tributária perversa, que contribui para amplificar a desigualdade. Portanto, abrir mão desse instrumento redistributivo é optar por uma sociedade cada vez mais desigual e segregada, com uma população cada vez mais destituída de acesso a direitos sociais básicos.”

Com esse trecho da conclusão do livro é possível compreender a importância da análise apresentada por diversos pesquisadores envolvidos no livro que se propuseram a analisar os efeitos da prática de austeridade no Brasil.

A ascensão do discurso da austeridade econômica no Brasil parece estar na contramão da história. No resto do mundo, os países estão reconsiderando essas políticas que ganharam notoriedade, desde os anos 1980, com o ex-presidente dos EUA, Ronald Reagan, e a ex-primeira ministra da Inglaterra, Margaret Thatcher, mas que voltaram com grande força no pós-Crise, em especial, na periferia europeia.

No Brasil, ao contrário, com a aprovação da Emenda Constitucional 95/2016, a prática de austeridade foi constitucionalizada e, enquanto não for revista, impõe uma drástica redução dos instrumentos para atacar a desigualdade social nos próximo anos.

Economia para poucos traz um diagnóstico essencial para compreender os efeitos cruéis dessas políticas no Brasil. Com uma abordagem importante, que combina a discussão macroeconômica com seus efeitos sociais, em diversas áreas, o livro torna-se um documento central para quantificar os efeitos nocivos dessa prática no Brasil.

Os resultados das políticas de austeridade no Brasil se assemelham àqueles observados em diversos países da periferia europeia. Ao contrário do prometido, os cortes no Orçamento acabaram agravando a recessão e a frustração de receitas do governo.

– Laura Carvalho, economista e professora da Universidade de São Paulo (USP)

AUTORES
Ana Luíza Matos de Oliveira, Andressa Pellanda, Bruno Leonardo Barth Sobral, Caio Santo Amore, Camila Gramkow
Carlos Octávio Ocké-Reis, Daniel Cara, Denise Carreira, Eduardo Fagnani, Esther Dweck, Fernando Gaiger Silveira, Flávio Arantes, Francisco R. Funcia, Grazielle David, Gustavo Souto de Noronha, João Brant, Karina Leitão, Luciano Mansor de Mattos, Marilane Oliveira Teixeira e Pedro Rossi


O livro encontra-se a venda na livraria de Outras Palavras, a Outros Livros. Contribuintes de Outros Quinhentos têm descontos de até 60%. Para solicitar seu cupom de contribuinte envie email para [email protected]
 


Você pode concorrer a um dos 5 exemplares em sorteio preenchendo o formulário abaixo até às 15h de quarta-feira, 15/08. Mas lembre-se: só se for um colaborador de Outros Quinhentos — nosso projeto de financiamento coletivo por um jornalismo independente, crítico e profundo. Se você ainda não colabora, veja como funciona, aqui

0

Cachaças, Contrapartidas, Cultura, Cursos

Encontro reviverá, neste sábado, as letras inspiradas e a música marcante de uma das grandes duplas da MPB, com o tempero saboroso de aguardentes de MG, RG e SP. Quem contribui com “Outras Palavras” paga meia e concorre a duas entradas grátis

Por Maurício Ayer

[Ao fim, explicação sobre os tipos de inscrição]

Da lírica mais louca à crônica engraçada, além da inspiração histórica, João Bosco e Aldir Blanc criaram peças musicais em que a cachaça é um ingrediente saboroso. São algumas das mais emblemáticas canções brasileiras dos anos 1970 e que serão o mote para as conversas e degustações do 7º Encontro de Literatura Brasileira & Cachaça. Sábado, 11 de agosto, às 16h, no Ateliê do Bixiga, em São Paulo. 

Em uma das mais conhecidas composições da dupla, um “bêbado de chapéu coco” faz par imagético com a “esperança equilibrista” – esperança de que a democracia volte a vigorar num país amordaçado pela ditadura militar e de que os exilados políticos possam retornar ao Brasil. Um bêbado a simbolizar uma (esperançosa) instabilidade, entretanto, é apenas uma das formas que a cangibrina aparece. 

No Rancho da Goiabada, bastam umas biritas para que boias-frias comecem a sonhar com um bife à cavalo e terminem, inopinadamente, em delírios alegórico-carnavalescos de lírios pirados e faraós embalsamados. Em Siri Recheado e o Cacete, a mesma cachaça que garante a “maré cheia” vai ser o acompanhamento do final da saga desse casal que sai para pescar siris pro seu compadre Anescar. Será, no entanto, a canção histórica Mestre-Sala dos Mares, que reconta o episódio da Revolta da Chibata e seu líder nomeado na letra como o “Navegante Negro”, que saudará a branquinha com um sonoro “Glória à cachaça”! 

Este é só um aperitivo, pois são muitas as canções que trazem a cachaça em seus versos, às vezes de maneira surpreendente, entretecendo cultura e história, humor e política. Neste encontro, vamos tocar e cantar ao vivo essa seleção de sambas e outros gêneros, conversar e degustar cachaças especialíssimas.

Leituras e audições: canções de João Bosco e Aldir Blanc.

Degustação: cachaças de Minas, São Paulo e Rio de Janeiro.

*Maurício Ayer é doutor e pós-doutor em literatura pela USP e Universidade de Paris 8, além de escritor, tradutor, editor e sommelier de cachaça. Autor do blog Molhando a Palavra: cachaça e literatura, convenceu-se de que tudo está ligado com tudo e se dedica a procurar os fios de conexão. A cachaça tem ajudado muito nesse processo.

Tipos de inscrição

• Inscrição: para todos os casos, exceto os abaixo especificados.

• Inscrição especial: Outros Quinhentos: participantes de Outros Quinhentos (programa de financiamento autônomo do www.outraspalavras.net) têm 50% de desconto em todas as inscrições

• Berro D’Água 4 Encontros (10% desc.): Ao comprar antecipadamente a inscrição em 4 encontros você ganha 10% de desconto; após efetuar a compra, você receberá um email para escolher quais encontros deseja reservar.

• Outros Quinhentos 4 Enc. (50%+5% desc.): Participantes de Outros Quinhentos que comprarem antecipadamente a inscrição em 4 encontros somam mais 5% de desconto aos 50% iniciais.

Faça sua inscrição aqui!

Sorteio de duas bolsas para integrantes de Outros Quinhentos

Participantes de Outros Quinhentos poderão participar do sorteio de duas bolsas para o curso preenchendo este formulário até o dia 09 de agosto, sábado às 10h00.

0

Contrapartidas, saúde
Empreendimento de economia solidária trabalha com óleos terapêuticos e curativos. Contribuintes de Outras Palavras de todo o Brasil têm 10% de desconto e participam de sorteio de produtos

Por Ananda Aromaterapia

Ananda Aromaterapia é uma mini cooperativa familiar que tem praticado o comercio justo com preços acessíveis de óleos essenciais e vegetais puros. Para tanto, aplica os princípios da Economia Solidária com apoio da ITCP-FGV. Os óleos vendidos são puros, livres de testes em animais (Cruelty Free) e sem nenhum tipo de matéria prima OGM.

Determinados óleos essenciais, como os de eucalipto, lavanda, canela, tomilho e melaleuca são capazes de agir como antisséptico, anti-inflamatório e antibacteriano, induzindo danos às estruturas celulares de bactérias e fungos como Escherichia colie e Cândida albicans. Aproveitando a capacidade que os terpenos presentes nos óleos essenciais possuem, vários equipamentos foram desenvolvidos com o objetivo de purificar e higienizar o ar, eliminando poluentes que podem causar danos à saúde.

Outros benefícios estão relacionados aos efeitos no trato gastrointestinal, atuando na diminuição de espasmos, e agindo contra a insônia, dos óleos essenciais de menta e de verbena, conferindo-lhes propriedades sedativas.

Contribuintes de Outros Quinhentos têm 10% de desconto na compra dos óleos e demais produto da Ananda Aromaterapia .  Os pedidos podem ser feitos no site da Ananda.


Para lançar nossa parceria Outros Quinhentos vai sortear um kit com óleos essenciais entre os contribuintes do jornalismo em profundidade. Caso você ainda não participe do nosso programa de autofinanciamento saiba como participar aqui.

0

Contrapartidas, Economia, Livros, Política

Livro proporciona uma leitura crítica e radical sobre o imperialismo e sua implicação no âmbito das relações internacionais. Contribuintes de Outros Quinhentos concorrem a cinco exemplares

Por André Takahashi

Muito mais do que um conceito, transbordando as margens acadêmicas, o imperialismo transformou-se em uma palavra de ordem e uma bandeira de luta. Em função disso, sofreu ataques e defesas que o empurraram para estigmatizações e imprecisões.

Em meio a crises e guerras que ditam a tônica das relações internacionais, a tarefa da superação do capitalismo demanda uma profunda compreensão teórica que passa necessariamente por uma discussão do papel do Estado e do sistema mundial na estruturação do modo de produção.

O livro Imperialismo, Estado e Relações Internacionais, de Luiz Felipe Osório, proporciona uma leitura crítica e radical sobre o imperialismo e sua implicação no âmbito das relações internacionais: atrelando estruturalmente imperialismo a capitalismo e contribuindo à reflexão teórica e política brasileira e mundial.

Você pode concorrer a um dos 5 exemplares em sorteio preenchendo o formulário abaixo até às 15h de quarta-feira, 08/08. Mas lembre-se: só se for um colaborador de Outros Quinhentos — nosso projeto de financiamento coletivo por um jornalismo independente, crítico e profundo. Se você ainda não colabora, veja como funciona, aqui

0

Alimentos, Cachaças, Cinema, Contrapartidas, Cultura, Eventos, Gastronomia, Livros, Meio Ambiente, Música, Política, Restaurantes, Video
Vale conhecer um espaço de resistência que propõe, no Rio, hospedagem, convívio e distribuição de orgânicos. Mantido pelo Movimento dos Pequenos Agricultores, é novo parceiro de Outras Palavras

Por André Takahashi

Oferecer um espaço de encontro, hospedagem e distribuição de alimentos orgânicos. Foi com esse objetivo que o Movimento dos Pequenos Agricultores montou a casa Raízes do Brasil promovendo a soberania alimentar e a agricultora camponesa. 

O espaço recebe visitantes nacionais e internacionais que utilizam da hospedagem e dos demais serviços da casa. A convivência propiciada pelos eventos e demais usuários do espaço cria ambiente de encontro e resistência que se consolidou na esquerda do Rio de Janeiro. 

O dia a dia da casa é retratado pelo vídeo da Raízes do Brasil com direção de Ramon Miranda e produção da ToobToobs Studio.

RAÍZES DO BRASIL

Rua Áurea, 80 – Santa Teresa

Rio de Janeiro – RJ

(11) 3333-0652

Segundas a sábados
9h às 19h


Contrapartida para Outros Quinhentos

– 20% de desconto na hospedagem;

– 10% na compra de alimentos agroecológicos e orgânicos;

– sorteio de uma cesta camponesa por mês (deve ser retirada na loja).

Para concorrer ao sorteio de uma cesta camponesa no mês de agosto preencha o formulário abaixo até 07/08 as 15h.
0

Contrapartidas, Música
Semana com espetáculos imperdíveis nas casas de shows apoiadoras do jornalismo em profundidade. MPB e Jazz para apoiadores de Outros Quinhentos. Sorteio de quatro pares de ingressos

Por André Takahashi 

Agosto começa em São Paulo com espetáculos imperdíveis nas casas apoiadoras do jornalismo em profundidade. Contribuintes de Outros Quinhentos concorrem a sorteios de ingressos para assistir MPB e Jazz na Tupi or Not Tupi, Jazz B e Jazz nos Fundos. Veja abaixo os shows de cada casa nestas quinta e sexta!

                                                          Quinta-feira (02/08) 

Tupi or not Tupi: Naná Ozzetti (21h00)

Adotando formação reduzidíssima (violão e vozes), os artistas retomam neste show canções que marcaram o início de suas carreiras no Grupo Rumo e na chamada “vanguarda paulistana” (como “Ah!”, “Delírio, Meu!”, “Ladeira da Memória”, “Felicidade” e “Dia Útil”), além de outras que vêm sendo gravadas até hoje em seus respectivos álbuns-solo (como “Estopim”, “Atração Fatal”, “Crápula”, “Capitu” e “Musa da Música”). O trabalho da dupla conjuga interpretações audaciosas com letras ao mesmo tempo intensas e bem humoradas.

A TUPI abre às 20h para escolha das mesas e serviço de bar e restaurante.

Rua Fidalga 360, Pinheiros. 
Entrada: R$ 60,00 Ingressos aqui.

Jazz B: Maycon Mesquita Quarteto (21h00)

Um dos mais destacados trompetistas da cena atual, o jovem músico e compositor, Maycon Mesquita vem ao JazzB para lançar seu primeiro álbum!

Maycon Mesquita Quarteto é composto por músicos que a partir do trabalho de música instrumental buscam se comunicar e integrar a população, de modo geral, a essa linguagem que se utiliza de notas musicais e não de palavras. O quarteto consiste em um contrabaixo acústico, uma guitarra, uma bateria e um Trompete/Flugelhorn construindo composições instrumentais (autorais) de uma forma expressiva, visando a improvisação tanto coletiva quanto individual. O quarteto teve seu primeiro disco lançado nas plataformas digitais pela Tratore no dia 15/06/2018. Maycon não esconde a felicidade: “Alegria por tocar com grandes músicos e irmãos de som e alegria por ser em uma das casas que mais admiro, pois, acreditam e valorizam a boa música.”

Abertura da casa: 10h

Rua General Jardim, 43 – Republica

Ingresso antecipado:R$20

Ingresso na porta: R$30

Ingressos aqui.

Jazz nos Fundos: Hot Club de Piracicaba: 10 anos convida Bina Coquet e Sebastian Abuter (21h30)

Noite dedicada ao estilo criado pelo virtuoso violonista francês Django Reinhardt nos anos de 1930 com o show do grupo Hot Club de Piracicaba que celebra 10 anos de estrada com o lançamento do novo álbum e com convidados especiais: Bina Coquet e Sebastian Abuter

Fernando Seifarth, Marcos Monaco e Cidão Lima (estes dois, clarinetista e baterista da Traditional Jazz Band), fundaram, em 2008, o Hot Club de Piracicaba. Embora tenham outras profissões, são músicos desde crianças e amantes do jazz e da música em geral.

Abertura da casa: 20h

Rua Cardeal Arcoverde, 742, Pinheiros, São Paulo

Ingresso antecipado:R$20

Ingresso na porta: R$30

Ingressos aqui.

                                                             Sexta-feira (03/08)

Jazz nos Fundos: Cosmopolita convida Vinicius Chagas (22h00)

Noite especial e cheia de groove e clima setentista com a banda Cosmopolita, que vem se destacando no cenário da música paulistana por suas apresentações vibrantes e virá ao palco do JazzNosFundos/CCMI apresentar o repertório do seu primeiro disco homônimo recém-lançado.

O grupo mergulha na atmosfera sonora das décadas de 60 e 70, inspirados em referências como Lee Morgan, Grant Green, The Meters, Milton Banana e Moacir Santos.

Abertura da casa: 20h

Rua Cardeal Arcoverde, 742, Pinheiros, São Paulo

Ingresso antecipado: R$25,00

Ingressos aqui.

Contribuintes de Outros Quinhentos concorrem a pares de ingressos para cada uma das três casas. No Tupi or Not Tupi são dois pares para esta quinta. No Jazz B e Jazz nos fundos é um par para cada noite. Para concorrer basta preencher o formulário correspondente até as 11h dessa quinta-feira, 02/08.

Jazz B e Jazz nos Fundos

Tupi or Not Tupi



0

Contrapartidas, Livros, Política
No livro, ex-guerrilheiro alemão relata sua trajetória — dos vinte anos de prisão, em seu país, ao trabalho comunitário nas favelas cariocas. Contribuintes de Outras Palavras concorrem a cinco exemplares

Por Autonomia Literária

Este livro é um depoimento pessoal que desnuda uma época da História recente em que se tentava resolver conflitos, disparidades e as injustiças por um tipo particular de ação política direta. Nada do que aqui se conta, porém, tem o tom individualista da exaltação ou exibição.

Ao contrário, ao abordar os grandes conflitos do século 20, Lutz Taufer despe a si mesmo e narra realidades ocultas nas tragédias em busca do poder. E não só na revolta estudantil de 1968 – “quando desenterramos o passado” -, mas igualmente, anos antes, na “desnazificação” alemã, em grande parte comandada por antigos nazistas.

Em 20 anos de prisão na Alemanha – mais de 18 dos quais em impiedoso isolamento total, sem conversar sequer com os carcereiros – só a memória e a dor o acompanharam. Daí nasceu o pensador que ele se revela agora. As tragédias do século 20 surgem aqui não como drama narrado por um observador alheio aos fatos, mas – sim – por quem foi protagonista.

Você pode concorrer a um dos 5 exemplares em sorteio preenchendo o formulário abaixo até às 15h de quarta-feira, 01/08. Mas lembre-se: só se for um colaborador de Outros Quinhentos — nosso projeto de financiamento coletivo por um jornalismo independente, crítico e profundo. Se você ainda não colabora, veja como funciona, aqui

0

Contrapartidas, Cultura, Eventos, Música
Nova parceira do site, Casa Natura Musical oferece ingressos para quem contribui com o jornalismo em profundidade. Para começar, Mato Seco e A Banda Mais Bonita da Cidade

Por Casa Natura Musical

Nova parceira do programa de autofinanciamento de Outras Palavras, o Outros Quinhentos, a Casa Natura Musical foi inaugurada em maio de 2017 e já entrou para o mapa cultural de São Paulo como uma das mais charmosas e aconchegantes casas de shows do País. Com total visibilidade de qualquer ponto da plateia, a Casa oferece uma combinação de conforto e qualidade musical, configurando o palco ideal para abrigar nomes consagrados, novos talentos e projetos desenhados a muitas mãos. O acesso por transporte público é fácil, pois a Casa está localizada na esquina da rua Artur de Azevedo com a rua dos Pinheiros, entre as estações Fradique Coutinho e Faria Lima do metrô, próxima a linhas de ônibus e ciclovias.

O empreendimento soma Paulinho Rosa, dono do Canto da Ema,  Edgard Radesca, fundador do Bourbon Street Music Club, a cantora e compositora Vanessa da Mata. Formaram assim a VIVÁ Cultural, empresa proprietária e realizadora do projeto. O patrocínio é da Natura.

Para começar a parceria Outros Quinhentos e Casa Natura Musical sorteiam dois pares de ingressos os shows de Mato Seco, 27 de julho, sexta, e A Banda Mais Bonita da Cidade e Dani Black, no dia 28 de julho, sábado. Para participar precisa ser contribuinte de Outros Quinhentos e se cadastrar no formulário abaixo até as 23h de 26/07, quinta-feira.


Casa Natura Musical: Mato Seco mostra que reggae está forte e muito vivo, em show na sexta, 27 de julho

Na sexta, 27 de julho, às 22h, na Casa Natura Musical, a banda Mato Seco apresenta o show Influências, com releituras de grandes nomes da música nacional e mundial em versão reggae, como Roberto Carlos (Jesus Cristo), Tim Maia (Azul da Cor do Mar), Raul Seixas (S.O.S.), Plebe Rude (Até Quando Esperar), Pink Floyd (Wish You Were Here) e Peter Tosh (Legalize). Importante referência do reggae nacional com 16 anos de carreira, a banda mostrará também os sucessos que marcaram sua história, como Brilho OcultoResistênciaTudo Nos é DadoCaminho da Luz Pedras Pesadas

Formado por Rodrigo Piccolo (vocal e guitarra), Eric Oliveira (guitarra), Osvaldo Ciziniaukas Jr. (contrabaixo), João Paz (órgão e piano), Tiago Rezende (bateria), Carlos Eduardo Gonçalves (percussão e voz) e Mauro Peres (percussão e voz), o Mato Seco é uma banda que consegue unir o roots ao moderno, com uma coleção de músicas de celebração e superação e que a cada ano ganha mais força e espaço no cenário musical. Os vídeos da banda já somam mais de 10 milhões de visualizações no YouTube.

O Mato Seco  surgiu em 2002, em São Caetano do Sul, reunindo sete grandes amigos de infância. Com público crescente, já chegou a reunir mais de 20 mil pessoas em um show (Sesc Itaquera, julho de 2017). Com letras bem elaboradas e mensagens positivas com conotações políticas e sociais, a banda se dedica a disseminar a filosofia do bem e da justiça. Seus três CDs já lançados (Mato Seco, 2006; Seco Mas Não Morto, 2009; e Seco e Ainda Vivo, 2013) podem ser livremente baixados no site da banda: www.matoseco.com.br. O álbum Seco e Ainda Vivo foi produzido pelo gênio jamaicano Errol “Flabba” Holt, com participação de Groundation (em Gueto do Mundo), Max Romeo (em Like a Lion) e Osvaldinho do Acordeon (em Farinha Pouca).


Mato Seco

Quando: sexta, 27 de julho, às 22h
Abertura da Casa: 20h30
Ingressos:
Meia-entrada para todos os setores
Pista: R$ 60 (lote 1) e R$ 80 (lote 2)
Bistrô superior: R$ 120
Camarote: R$ 120
Lotação para este show: 710 lugares
Classificação etária: 12 anos (menor de 12 acompanhado pelos pais ou responsáveis)


A Banda Mais Bonita da Cidade convida Dani Black em show na Casa Natura Musical, sábado, 28 de julho


No sábado, 28 de julho, às 22h, na Casa Natura MusicalA Banda Mais Bonita da Cidade apresenta o show ​De Cima Do Mundo Eu Vi O Tempo, nome do seu terceiro e mais recente disco, tendo como convidado especial o cantor Dani Black. A banda é formada por Uyara Torrente (vocal), Eduardo Rozeira​ (guitarra), Vinícius Nisi (teclado), Marano (baixo) e Luís Bourscheidt (bateria).

 
Nascida da vontade de reinterpretar as canções feitas pelos amigos e poetas curitibanos, A Banda Mais Bonita da Cidade viu sua carreira tomar proporções inesperadas após o estouro do vídeo ​Oração​, em 2011 (atualmente com mais de 34 milhões de visualizações). Com três álbuns e um DVD lançados, muito bem recebidos pela crítica e pelo público, a banda se consolida cada vez mais como parte importante da música brasileira atual.

 
Seu ​primeiro disco​ (A Banda Mais Bonita da Cidade, 2011) foi gravado três meses depois do lançamento do vídeo Oração, pelo sistema de crowdfunding. Em 2013, a banda lançou o disco ​O Mais Feliz da Vida​, apresentando um registro maduro e muito elogiado e, em 2016, apresentou seu DVD ​Ao Vivo no Cine Joia​, ​um registro emocionante da verdadeira celebração que é um show da banda.


A Banda Mais Bonita da Cidade convida Dani Black
Show: ​De Cima Do Mundo Eu Vi O Tempo
Quando: sábado, 28 de julho, às 22h
Abertura da Casa: 20h30
Ingressos:
Meia-entrada para todos os setores
Pista: R$ 60
Bistrô superior: R$ 120
Camarote: R$ 120
Lotação para este show: 710 lugares
Classificação etária: 12 anos (menor de 12 acompanhado pelos pais ou responsáveis)


0

Alimentos, Cachaças, Contrapartidas, Cultura, Gastronomia, Música, Restaurantes

Num antigo galpão em bairro histórico, comida típica, lanches, cerveja e programação contra o conservadorismo. Contribuintes de Outras Palavras têm 30% de desconto nos lanches e porções

Por Inimigx Nº1

O galpão que abrigava uma oficina mecânica agora é o endereço de um novo bar no Bixiga, o Inimigx Nº1. Um lugar simples de ambiente aconchegante que nasce com a proposta de ser mais um espaço de resistência, um local onde você pode esticar boas prosas e apreciar a melhor música latino americana.

O Inimigx Nº1 conta com um cardápio com comidas feitas com muito carinho, cachaça, drinks e cerveja puro malte a (–) 5 °C.

As dicas são os saborosos lanches  “Inimigox Nº1” (pão francês, calabresa fina, cebola caramelada e maionese verde caseira) e  “Com o supremo, com tudo” (pão francês e caponata de berinjela),  as aclamadas porções de  Bolinho de Arroz empanado e Dadinho de Tapioca acompanhando de melaço de cana.

Toda quinta o bar promove uma noite gastronômica com comidas de algum país da América Latina. Aos sábados, à partir do meio dia, feijoada com chorinho ao vivo. 

Inimigx Nº 1 – Um bar inimigo de tudo que nos diminua e nos tire potência criadora. Lugar que abriga os corpos que resistem ao retrogrado e ao conservadorismo.

Inimigx Nº 1 está aberto de quarta a domingo das 18h as 23h.

Rua Quatorze de Julho, 24 – Bixiga 

Benefícios para contribuintes de Outros Quinhentos

Desconto de 30% no valor dos petiscos, lanches e comida. Só se identificar como contribuinte de Outros Quinhentos e sua contribuição será confirmada pela equipe do bar no nosso sistema.



0

PREVIOUS POSTSPage 1 of 28NO NEW POSTS