Telefonema do Papa à família de Marielle foi articulado na Argentina

Dona Marinete da Silva, mãe de Marielle Franco, revelou na missa de sétimo dia da filha que a família recebeu um telefonema de solidariedade do Papa. A iniciativa de Francisco foi resultado de uma articulação acontecida na Argentina, sem qualquer participação da Arquidiocese do Rio ou da CNBB.

Por Mauro Lopes

A mãe de Marielle Franco, Marinete da Silva, falou aos presentes à missa de sétimo dia celebrada ontem (20) na Igreja Nossa Senhora do Parto, no centro do Rio – a missa foi transferida da Maré para que todos pudessem em seguida participar do ato/culto ecumênico na Cinelândia.  Ao final da celebração, o sacerdote convidou a família a se pronunciar, caso desejasse. Dona Marinete agradeceu o carinho recebido e informou então que o Papa Francisco havia telefonado.

A última foto que Marielle mandou para a irmã, Anielle

A família de Marielle é católica. Sua mãe é devota de Nossa Senhora Aparecida e foi ministra da Eucaristia na Maré. A última foto que Anielle recebeu de sua irmã, ainda viva, horas antes do assassinato, foi das duas diante de um altar em uma igreja no Rio. Marielle foi catequista e ativa participante da Pastoral da Juventude ainda adolescente. Depois, afastou-se da Igreja Católica que vive, no Rio, um clima quase irrespirável de conservadorismo e censuras e condenações e falso rigorismo moral.

Marielle foi mãe aos 19 anos, sem ser casada -chegou a morar junto com o pai de Luyara, sua filha, mas rapidamente separou-se dele, depois de sofrer violência doméstica. Antes de morrer, planejava oficializar seu casamento –com uma mulher. O suficiente para que fosse discriminada e tivesse os dedos apontados contra si no ambiente católico carioca. Francisco disse em 2015 que “não existe mãe solteira, pois mãe não é um estado civil”; um ano depois, conversando com jornalistas na viagem de avião do Rio a Roma, o Papa afirmou: “se uma pessoa é gay, procura ao Senhor e tem boa vontade, quem sou eu para julgá-la?” A visão do Papa não demoveu nem  comoveu os padres, leigos e leigas integristas que pululam à volta do arcebispo do Rio, o cardeal Orani Tempesta, que continuam a atuar como “réguas do mundo”. Livre, Marielle afastou-se da Igreja e aproximou-se cada vez mais das religiões de matriz afro-brasileira.

A Arquidiocese do Rio de Janeiro não teve qualquer participação no telefonema do Papa. Dom Orani Tempesta manteve-se à distância da família, soltou uma nota e uma mensagem frias, quase de condenação a Marielle por suas posturas políticas libertárias, e o clero ao seu redor iniciou uma campanha de ataques à memória da vereadora, com todo tipo de difamação. A CNBB igualmente não teve participação no telefonema –a entidade dos bispos brasileiros sequer pronunciou-se sobre o assassinato que comoveu e provocou mobilização em todo o país e no Exterior.

O caminho do telefonema deu-se por uma ponte entre a família da Marielle e a Argentina, envolvendo Luyara. Ela escreveu uma carta ao Papa dois dias depois da morte da mãe, que chegou rapidamente a Francisco por iniciativa do professor argentino Gustavo Vera, amigo pessoal do Papa e presidente da Fundación Alameda, dedicada ao combate ao tráfico de pessoas. Participou da articulação Lucas Schaerer, do Partido del Bien Común e assessor de comunicação da fundação. “Estamos muito felizes por este gesto de amor do Papa”, disse ele a Caminho Pra Casa na noite de ontem (20).

O episódio confirma pela mais uma vez Francisco como o grande líder-compaixão do planeta neste início de século 21. É também uma triste ilustração da situação da Igreja no Brasil. O caminho mais curto entre o povo brasileiro e seu amado Papa não é a hierarquia local –passa por Buenos Aires.]

___________

48 respostas para “Telefonema do Papa à família de Marielle foi articulado na Argentina”

  1. Para a igreja do Rio e para a CNBB:
    “Conheço sua conduta: você não é frio e nem quente. Quem dera que fosse frio ou quente! Porque é morno, nem frio e nem quente, estou para vomitar você de minha boca”. (Ap 3,15).
    A Igreja de Dom Paulo, Helder, Luciano, Pedro, Aloísio, Bernardino, Ivo, etc. está morta e estamos como ovelhas sem pastor. A Igreja que está aí – salvo raras exceções – se assemelha a dos tempos de Jesus.

  2. Meu coração se enche de esperança por ter Francisco como papa e saber que sua liderança passa por fora da instituição em ruína mas por dentro do povo de Deus.

  3. E triste 😞 ver que nos mandatários oficiais da nossa igreja ⛪ católica de hoje não estão nem aí com a situação de sofrimento do mais humildes e oprimidos. Não vemos mais profetas na nossa igreja ou pelo menos estão calados por algum motivo. Assisto a missa de Aparecida todo e cade os profetas…Estão calados e com isso a rede globo nada de braçada manipulando as mentes do nosso povo. Que o Espírito Santo desperte nossos Profetas senão depois da desgraça feita pelos poderosos aí não adianta mais chorar. Dom Angélico Bernardino, da uma força 💪 ai.

    1. Ah se todo clero da igreja católica fossem parecidos com nosso querido Papa Francisco,Dom Angélico,padre Julio Lanceloti e tandos outros!!!

  4. Mauro,

    Gosto muito desse blog. Mas se permite uma ressalva, houve uma nota vinda da CNBB. Não de sua coordenação, mas de um de seus setores. Abraços!

  5. Amo o Papa verdadeiro escolhido por Deus.
    A Igreja tem que ir a onde o povo estar.
    Gracas a Deus é esta Igreja que sirvo.
    E sei que é esta Igreja que Jesus quer para seu povo.

  6. Eu não vejo nenhuma diferença entre a senhora Marielle e tantos outros que morrem no anonimato no Brasil e no mundo. Ninguém está acima ou abaixo dela. Se dessa forma pensassemos e dessemos o verdadeiro valor a vida, estariamos o tempo todo protestando a favor da vida de alguem…

    1. Flavia,
      Vc tem razão em questionar o fato que estamos “vacinados” e insensíveis contra a maioria das mortes e vacinados contra grande parte da violência q existe no Brasil e no mundo. Basta ver quantos estão dormindo nas ruas e morrendo nas portas dos hospitais e poucos e pouco fazemos. Mas – embora eu não a tenha conhecido – Marielle entrou na família de cada brasileiro (não somente…!!!) e de cada ser humano no qual resta 1 pouco de sensibilidade. Marielle não é qualquer um ou qualquer uma. É evidente que Marielle lutou por um algo que é um Bem para mim e para Você. Mesmo que Vc não saiba… Também outros lutaram por um Bem a teu e meu favor, quando ainda não tínhamos consciência do que era o melhor para cada um de nós. Marielle, como poucos, está além deste tempo.

    2. Com todo respeito, discordo, e um número gigantesco de pessoas. Marielle morreu justamente por protestar contra os injustiçados, contra os que morrem vitimados por todo tipo de violencia. Marielle fez e fará a diferença. Não como qualquer um não. Além disso, não morreu vítima de assalto ou bala perdida. Foi EXECUTADA. MARIELLE NÃO FOI COMO QUALQUER UM NÃO. MORREU POR QUERER DEFENDER OS QUE NÃO TEM DIREITOS NEM VOZ.

    3. Todas as vidas deveriam ter o mesmo valor, mas não tem! E por isso Marielle lutava, para que mais vidas não se perdessem. A comoção é porque como você deve saber, ela foi executada! Não foi um ato da violência urbana que ceifa tantas vidas. Foi uma execução por motivos políticos. Por ela ser uma defensora dos direitos humanos.
      Marielle estava na luta para impedir que mais e mais pessoas moressem. E você onde estava e o que faz para evitar isso?

    4. Flávia Furlanes Antunes, ainda bem que você não é o papa. Quanta frieza. Deus tenha piedade de você e coloque um pouco mais de consciência e compaixão no seu coração gelado.

    5. Flávia, se você prestar mais atenção irá ver que o que motiva esse movimento todo sobre a morte da Marielle, é pelo que ela representava para os excluídos, é pela pessoa ousada, corajosa e comprometida com o bem e o justo para todos. Por toda sua trajetória de vida, tendo que lutar diariamente para vencer todos os obstáculos que tentavam barrá-la, como tantos são barrados diariamente. Quem chora a morte de Mariella, como eu, que só a conheci agora com sua morte, chora pelo significado que sua vida trouxe para cada excluído desse País tão desigual. Todos os que morrem (são executados, direta e indiretamente) diariamente perderam uma das poucas vozes que se levantam, saindo de sua zona de conforto, para gritar os seus gritos.

  7. ” O tempo é pesado, Eu sei! Há fome de pão e de paz, não é este o país que sonhei, tá demais!
    Já chega de medo e mentiras, violência e roubo a nação, O sim é só para a verdade. O resto é Não! ” ( música: meu canto, minha arma).
    Uma pessoa verdadeira consigo mesma, com sua família e com sua comunidade.
    Essa pessoa, Marielle, segue viva e sendo sinal de um outro Brasil e outro Mundo possíveis. Será símbolo e fonte de inspiração do melhor, do maior, da paz.

    1. Marcelo, paz. Gostaria de saber quando vocês conservadores defenderão a mesma literalidade deste versículo do Levítico a Mateus, 5,30. Paz e bem.

      1. Mauro caso vc não saiba no antigo testamento existiam as leis morais é cerimoniais,as leis morais são eternas(incluso a prática homossexual) é a citada por vc é uma lei cerimonial ,válida somente para aquela época

        1. Caro Valmir, paz, admiro essa conduta teológica/intelectual dos fundamentalistas. Dizem que o texto bíblico é expressão direta da Palavra de Deus e deve ser tomado ao pé da letra. Aí selecionam as prescrições que lhe convêm com sua (falsa) moralidade e estas transformam-se em “eternas”, enquanto as que não lhes agradam tornam-se “válidas somente para aquela época”. Paz e bem.

  8. Mauro, parabéns pelo seu texto. Agora, afirmar que ninguém da Igreja se manifestou… permita-me discordar. Frei Fidêncio Vomboemel, ministro provincial da Privincia Franciscana da Imaculada Conceicão do Brasil, publicou imediatamente uma corajosa Nota, intitulada: “Malditas armas que matam”. A JUFRA (Juventude Franciscana) também abriu a boca em uma veemente nota de protesto. A CNBB, representada pelo referencial do setor de pastoral social, tammem logo se pronunciou alertando que a Casa Grande continua hoje a oprimir e executar negros “rebeldes”… Entendo, em estado de choque, como você deve estar, podemos até dar uns ‘cochilos’ no que afirmamos…
    Mas foi muito bom você ter se manifestado, como o fez. Franciscanamente, Paz e Bem!

    1. José, paz! Obrigado por seu comentário. Publiquei dois artigos sobre as corajosas manifestações dos franciscanos sim! Veja no blog! Quanto à CNBB, é da tradição da Casa que são manifestações institucionais aquelas exaradas pela Assembleia, pelo Conselho Permanente, pela Presidência ou Secretaria-Geral. Fora disso, são manifestações de segmentos, setores ou pastorais, e não “da CNBB”. Sei que a direção da CNBB sente-se acuada pela agressividade dos católicos integristas -mas, convenhamos, o Papa também sofre das mesmas pressões e não se intimida, não é? Porque o caso Marielle não deveria ser objeto da atenção da CNBB (como me disse um assessor da Presidência) quando é objeto da atenção do Vaticano e do Papa? Paz e bem!

  9. Essa mesma igreja!!!!
    Aquela que atrasou o mundo em 300anos!!!!
    Aquela com milhares de padres que gostam de criancinhas!!!!
    A mesma que gasta milhões para abafar escândalos….

    1. Fabricius, os pecados de uns não pode apagar a santidade de outros, os martires, quantos! não sao poucos. Como catolica queria que fizéssemos mais, mesmo assim, não deixo de reconhecer o quanto ela já fez e faz de bom por esse mundo afora. Quanto aa atitude do papa, foi linda, humana, agiu como nosso verdadeiro pastor. Acredito que faria por qq outra ovelha, cujo clamor lhe chegue. E temos que ter cuidado com o julgamento, tempo de olhar as atitudes de Jesus na cruz, ao lado de dois condenados. Ele os perdoa, sem ressalvas. Parabens a todos pelos educados comentarios.

  10. PAI NOSSO DOS POBRES MARGINALIZADOS. PAI NOSSO DOS MARTIRES DOS TORTURADOS.. SEU NOME E SANTIFICADO NAQUELES QUE MORREM DEFENDENDO A VIDA. SEU NOME E GLORIFICADO QUANDO A JUSTICA E NOSSA MEDIDA. PERDOA NOS QUANDO POR MEDO FICAMOS CALADO DIANTE DA MORTE. MARIELE NAO TEVE MEDO E NEM SE CALOU DIANTE DA MORTE. POR ISSO ESTARA PRESENTE PARA SEMPRE.. MARIELLE VIVE NO CORACAO DAQUELES QUE LUTAM POR JUSTICA.

  11. Que belo exemplo de simplicidade, compaixão do nosso querido Papa Francisco .Que tristeza a gente sente por vê a nossa igreja com o conservadorismo presente ,por não vê mais profetas , se existem estão calados. Peçamos ao nosso Pai celestial que derrama sobre cada um de nós o amor, a justiça e a paz .Marielle foi uma dessas que deixou a civilização do amor transparecer na vida dos mais oprimidos e marginalizados levando o reino de justiça e paz .

  12. Gente,
    Eu li todos comentários. A grande maioria são necessários e MUITO bons. Não sou católico e agradeço pela publicação dessa prova de que o verdadeiro espírito de Jesus, o homem de Nazaré, permanece vivo. Desejo que cresce, supera agrupações como essa CNBB e(!) prática o espírito da Marielle (amada por muitos, meu coração incluído). Vocês são a verdadeira Igreja, não aqueles cadáveres vivos. Não basta,defender-se; é urgente tomar a iniciativa, entrar na ofensiva e mantê-la. Na correlação das forças, quem não cresce, será enfraquecido.Então: agir, agir, o mais concreto possível. Não apenas elogiar o Papa, mas aprender dele o fazer. Vamos semear, vamos engrandecer (não sem humildade, mas também com sabedoria superior e militância máxima!). A luta é difícil e perigosa, mas não há alternativa, se nos queremos permanecer verdadeiros seres humanos e seres humanas, criados/as na SUA imagem. Precisamos ser práticos;precisamos lutar sem parar, nas mais diversas formas. Precisamos ser guerreiros e guerreiras da amor, com as armas do amor, como os irmãos Berrigan, só por exemplo. (Posso falar mais sobre a questão das práticas necessárias, mas termino).
    Obrigado, Mauro, pela publicação do novo blog e dos comentários.. Paz e bem.
    Helmut

  13. Complemento.

    Há um direito fundamental à resistência aos falsos profetas, aos lobos, aparecendo pelo peludo da ovelha. Não são “eles” a Igreja, mas sim vocês. Este tipo de direito apenas permanece, se for praticado continuamente. Assim, honramos a Marielle e semelhantes e cumprimos nosso compromisso perante os irmãos e irmãs vencidos, re-vitalizando-los por nosso fazer vivo, em nosso presente e tentando antecipar , presentificar, um futuro maior e melhor, assim prestando justiça a eles/as, atualizando assim este passado, sempre ameaçado por mentiras e esquecimento. …
    h.

  14. Caro Mauro Lopes,

    embora tenha sido formado em uma família de tradição católica, nunca abracei nenhuma igreja. Entretanto, não sou ateu. Me defino como amigo do conhecimento, odioso da ignorância e pessoa de fé em algo transcendente, porém a anos luz de religiões, como a católica, que não tenho dúvida, reúne em suas fileiras muita gente de boa vontade, mas também um oceano de fariseus, ignorantes, estúpidos e perversos, entre dirigentes e seguidores. Aliás, rebanho guiado por tantos dirigentes parvos e mesquinhos, só pode ser mesmo rebanho.
    Apesar disso, acompanho um pouco o movimento dessa instituição que ao longo de milênios afaga e inferniza a vida de milhões. Acompanho, inclusive, lendo seus textos geralmente excelentes aos quais quando posso difundo por meu e-mail. Acompanho por fim os gestos do Papa Francisco, que a despeito dos inimigos que possui, dentro de casa, beijando sua mão e apunhalando-o com suas ações vis, é uma figura admirável da qual me tornei fã desde seus primeiros gestos. Torço para que ele tenha ainda muitos anos de vida lúcido para continuar tentando trazer a Igreja para as práticas verdadeiramente cristãs e humanísticas da compaixão, justiça, amor, sinceridade, simplicidade, igualdade, honestidade, dignidade, etc., para absolutamente todas(os) que habitam esse planeta, sem distinção de cor, raça, sexo, credo, riqueza, poder, etc., etc.,
    Fariseus e hipócritas, egoístas de todos os quadrantes como vermes e ervas daninhas, destroem e esterelizam tudo por onde passam, inclusive as igrejas onde, dizem, vão buscar a salvação.
    Grande abraço.

  15. Mais uma ideia, desculpem .

    É uma obra importantíssima que faz o Papa Francisco, do meu ver: limpar a Igreja nas alturas, no Vaticano.
    Então, vocês, crentes no Brasil, talvez deverão fazer a limpeza na base?
    Deflagram o surgimento, de novo, de uma rede cristã de comunidades de base!
    Mais uma vez Francisco. Sabemos que ele, acho no primeiro encontro com delegados de Movimentos Populares do Mundo, no Vaticano, em 2014, disse que vivamos numa Guerra Mundial por Etapas. Então, repito: sejamos guerreiros do Senhor e detectamos o segredo de nossa chance, criando essa por praticá-la! Essa rede pode ser chamada de >Comités Marielle.< Praticando todos os direitos humanos, vindos de Deus, e, em decorrência, a verdadeira democracia, real e direta, unidade na diversidade, iluminada. Antônio Conselheiro vive também … Porque não? E Buenaventura Durutti …
    Allahu Akbar
    h.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *