Conservadores católicos atacam Lutero e a Reforma –Papa é o alvo

O cardeal Muller e o bispo Galantino: o sopro do Espirito e a Reforma

Quanto mais se aproxima a celebração dos 500 anos da Reforma iniciada por Martinho Lutero, no próximo dia 31, mais os conservadores se agitam na Igreja Católica. A lenta aproximação de anos que o Papa Francisco acelerou de maneira inédita nos últimos tempos, é alvo da fúria dos católicos restauracionistas. O jornal italiano La Nova Bussola Quotidiana publicou nesta quarta (24) artigo do cardeal Gerhard  Müller, o ex todo-poderoso da Congregação para a Doutrina da Fé, no qual ele ataca: a Reforma foi um evento “contra o Espírito Santo”.

Desde que Müller foi defenestrado pelo Papa, que lhe negou a renovação do mandato quinquenal à frente do ex-Santo Ofício, em junho passado, ele tornou-se o mais estridente porta-voz das teses da direita católica. A cada semana concede uma entrevista ou escreve um artigo para se contrapor a Francisco, aos novos líderes da Igreja e às suas reformas.

Agora, o objeto da cólera do cardeal é o bispo Nunzio Galantino, secretário-geral da Conferência Episcopal Italiana (CEI). Ele esteve na quinta-feira passada (19) num evento sobre os 500 anos da Reforma, na Universidade Lateranense, em Roma. Em sua conferência, afirmou: “A Reforma iniciada por Martinho Lutero há 500 anos foi um acontecimento do Espírito Santo”.

O bispo, que atua em estreita relação com o Papa, acrescentou: “Lutero, não se considerava artífice da reforma, e escreveu: ‘enquanto eu dormia, Deus reformava a Igreja’. Também hoje, a Igreja necessita de uma reforma. E também Deus é o único que pode realiza-la.” Galantino afirmou ainda que “o amor de Lutero pela Palavra antecipou a sacramentalidade da Palavra afirmada pelo Concílio Vaticano II”.  E este é o verdadeiro tema que divide a Igreja católica: para os conservadores, a única “reforma” possível é a revogação do Vaticano II e a restauração do inverno tridentino.

A cada dia amiúdam-se os conflitos na Igreja. Tudo é objeto de disputa. Da comunhão aos divorciados em segunda união à tradução dos textos litúrgicos; da avaliação sobre a Reforma à opção pelos pobres; do olhar sobre a história da Igreja à interpretação dos ensinamentos de Jesus.

Pode parecer que isso é novo. Mas não é. A disputa está presente pelo menos desde o Vaticano II e o movimento realizado pela Igreja no sentido de dialogar com a sociedade e as pessoas; a diferença é que, desde João Paulo II e durante o papado de Bento XVI, a controvérsia foi sufocada a pancadas, censuras, silêncio, exclusões.

A referência neste momento é Francisco. Os conservadores devotam-lhe ódio cada dia mais explícito, por enxergar nele o responsável pela retomada da trajetória do Vaticano II. Tudo o que fazem tem como objetivo enfraquecê-lo ou mesmo, como explicitaram no manifesto contra a Amoris Laetitia, depô-lo[1].

[Mauro Lopes]

___________________

[1] No texto de sua “correção filial contra as heresias”, os conservadores afirmaram que os ensinamentos de Francisco levariam os fiéis “a colocar em dúvida a validade da renúncia do Papa emérito Bento XVI ao papado”.

7 respostas para “Conservadores católicos atacam Lutero e a Reforma –Papa é o alvo”

  1. AMO A LUTA LIBERTÁRIA DO JESUÍTA COMUNA DA SANTA SÉ.
    Quixotescamente ele vai destruindo moinhos à busca de sua fé inabalável no Nazareno, o homem, não o Deus inventado pela Igreja Católica Medieval. Ah.. o Espírito Santo não tem nada ver com isso.
    Cá pra nós, sudamericanos, resta torcer para que vinguem as teses de Francisco e deem bons frutos. Ou esperar que o MAL decepe de vez as cabeças e as liberdades deste Cone Sur.

  2. Pergunto: Os conservadores podem se declarar Católicos ? O que teriam coragem de ouvir de Jesus Cristo. Os “entendiddos” da religião da época também ficaram escandalizados com Jesus. Só o verdadeiro seguimento a Jesus pode-nos trazer a libertação. Não ao carreirismo na Igreja. Somos povo de Deus. Muita oração pelo nosso querido e forte Papa Francisco.

  3. Jesus Cristo ñ fundou instituição nenhuma com leis q massacram os fiéis. Ele revelou a Boa Nova do Reino e chamou quem Ele quis para levar essa mensagem ao mundo inteiro. Todos os q a recebem vivem o amor a Deus e ao próximo. E somos chamados cristãos. Ele morreu para q todos tenham a Vida em abundância.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *