A lágrima clara sobre a pele escura

A lágrima clara sobre a pele escura

Ele se arrastava com dificuldade, a cada passo. Os pés, inclinados para fora, prejudicavam seu equilíbrio. As roupas esfarrapadas, o tênis velho, o semblante de um homem solitário. Um metro e 60 de altura, pele negra e cabelos brancos como algodão, contrastando com o preto azulado da pele do homem idoso

Crônica de Luiza Sansão

Ele se arrastava com dificuldade, a cada passo. Os pés, inclinados para fora, prejudicavam seu equilíbrio. As roupas esfarrapadas, o tênis velho, o semblante de um homem solitário. Um metro e 60 de altura, pele negra e cabelos brancos — brancos como algodão, contrastando com o preto azulado da pele do homem idoso.

Foi como vi seu Pedro, de 80 anos, por volta das onze horas da noite, em um bar da rua Voluntários da Pátria, em Botafogo, Zona Sul do Rio. Eu tomava cerveja, ele vendia amendoins.

Leia mais