Simples e suave coisa, suave coisa nenhuma

Simples e suave coisa, suave coisa nenhuma

Um casal em situação de rua, abraçado, numa noite de chuva, brinca com um bicho de pelúcia, num gesto tão puro e singelo de amor. Como se aquela fosse sua resposta a uma sociedade tomada de ódio que legitima violências do Estado contra pessoas vulneráveis

Crônica de Luiza Sansão

Não dava pra tirar uma foto, mas aquela cena ficou guardada na minha cabeça até o momento em que, deitada pra dormir, ainda me emocionava com sua lembrança. Somente no dia seguinte consegui fazer uma foto tímida de seus protagonistas — que permaneciam no mesmo lugar.

Passando pelo Arco do Teles, no Centro do Rio, por volta das 18h15 desta segunda-feira (19/02), depois de sair do trabalho, um casal em situação de rua — que eu havia visto dormindo abraçado e profundamente na hora do almoço —, brincava, ainda abraçado e, agora, sorrindo, com um bicho de pelúcia.

Leia mais