“É um estupro”, diz Zelia Duncan sobre lei antiaborto

“É um estupro”, diz Zelia Duncan sobre lei antiaborto

Ato #TodasContra18 reuniu milhares de mulheres no Centro do Rio nesta segunda-feira (13). | Foto: Luiza Sansão

Milhares marcharam contra a PEC 181, que quer ampliar o controle sobre os corpos das mulheres, no Centro do Rio de Janeiro, nesta segunda-feira (13)

Reportagem de Luiza Sansão

“Minha filha é fruto do desejo e minha luta é para que as mulheres possam ter filhos com desejo”. A fala da psicóloga Paula Aguiar, de 34 anos, que levava sua pequena Olívia a tiracolo, sintetiza o sentimento das diversas outras mulheres que levaram seus filhos ao ato, em um gesto simbólico em defesa do direito da mulher a escolher pela maternidade ou não. “A opção por seguir em frente numa gravidez ou não é um direito das mulheres. Homens estão querendo decidir sobre o futuro e os corpos das mulheres, e nós precisamos barrar isso. O aborto precisa ser descriminalizado”, enfatizou Paula.

Jovens, senhoras, solteiras, casadas, lésbicas, heterossexuais, transexuais, mães, brancas, negras, artistas. Milhares de mulheres de todas as faixas etárias, classes sociais e orientações sexuais uniram-se em um só coro, no final da tarde de ontem (13), na Cinelândia, Centro do Rio de Janeiro, para bradar contra a Proposta de Emenda à Constituição que restringe ainda mais o direito ao aborto, a PEC 181, criminalizando-o até mesmo em casos de estupro. E também homens que endossam a luta das mulheres pelo direito ao aborto.

Leia mais