Permacultura: a experiência “anárquica” do Ceará

Conclusão de curso em Meruoca, Ceará, 2011

Conclusão de curso em Meruoca, Ceará, 2011. Foto por Tiago Silva.

Aprendizado nos Fóruns Sociais Mundiais. Ações “Robin Hood”. Viagens a Cuba. Como alguns movimentos cearenses constroem uma forma própria de transformar radicalmente consumo, construção e reciclagem

Por Djalma Nery

Conheci o geógrafo cearense Paulo Rolim Campos, permacultor há mais de 10 anos, participando do grupo de WhatsApp Permacultura Brasil, com mais de 250 membros ativos. Nos esbarramos por causa de uma polêmica: ele dizia ser contra isso de adjetivar a permacultura de popular, social, etc, pois em sua região faziam essa permacultura popular há décadas e nunca precisaram dessa “pirotecnia”. Para ele era permacultura e pronto.

Tendo em vista que passei os últimos cinco anos de minha vida buscando emplacar a ideia de “permacultura popular” e o que deu início à polêmica foi justamente um artigo de minha autoria que alguém havia compartilhado no grupo, senti-me na obrigação de me manifestar. Comecei então a me comunicar em particular com Paulo e logo nos identificamos, com amigos até projetos em comum. Continue lendo