A internet não é como você pensava

171025-Xploit

“Xploit”, produção brasileira de baixo orçamento, pode surpreender no Festival de Webséries do Rio ao expor, de modo didático porém incisivo, as ameaças de vigilância e controle que pairam sobre a grande rede

Por André Takahashi

A websérie documentário Xploit Internet sob Ataque trata das questões invisíveis que regem os caminhos da internet. Das leis em tramitação no Congresso Nacional, dos seus direitos enquanto usuário, de como a coleta indiscriminada dos seus dados pessoais afeta a sua vida.
Indicada para concorrer aos prêmios de “Melhor Roteiro de Não Ficção” e “Melhor Série de Documentário” do III Festival Internacional de Webséries do Rio (Rio WebFest 2017) com concorrentes do Brasil e do mundo, Xploit coloca a Internet em uma outra – e preocupante – perspectiva.
Xploit conta a história da origem da rede mundial de computadores e a sua transformação de um repositório de conhecimento e inovação a um espaço de consumo e perseguição política, alvo de ataques constantes por parte de governos e corporações de telecomunicações.

Continuar lendo

TEXTO-FIM

Rio experimenta o Jornalismo Gastronômico

150826-jornalismo

Curso oferecido por colaboradora de “Outras Palavras”, discutirá, em setembro, a questão alimentar, por meio de debates e estudos de caso. Em 17/9, encontro gratuito sobre o tema

No dia 17 de setembro, quinta-feira, os apaixonados por gastronomia poderão participar de uma roda de conversa, gratuita, sobre jornalismo gastronômico na Facha (Faculdades Integradas Hélio Alonso). Com o tema “De Apícius à Danúsia Bárbara: a construção do jornalismo gastronômico no Rio de Janeiro”, o debate terá apresentação da professora do curso de extensão em Jornalismo Gastronômico da Facha, Juliana Dias, com a participação da jornalista convidada Andreia Degmont, editora de mais de 200 livros neste segmento.

O encontro faz parte da II Semana de Extensão Facha, que acontecerá de 14 a 17 de setembro, e irá reunir diversos eventos gratuitos ao longo da semana, no auditório da faculdade, em Botafogo. Quem pretende dar continuidade aos estudos, e se aprofundar ainda mais no tema, pode se inscrever no curso de extensão em jornalismo gastronômico da Facha, que acontecerá também em setembro, durante quatro sábados consecutivos. A turma está prevista para começar no dia 12 e as aulas acontecerão das 9 às 14 horas, em Botafogo. Continuar lendo

Um mestre oferece curso de Roteiro

150702-roteiro


Luiz Carlos Maciel, grande roteirista brasileiro, que já teve como ator Gláuber Rocha, inicia aulas teóricas e orientação 
para redigir um guião de longa-metragem


Oficina de Roteiro
Professor: Luiz Carlos Maciel

Onde: Rio de Janeiro — Rua José Linhares 244 – Páteo (P) – Leblon
Quando: De 7 de julho a 27 de outubro | terças e quintas das 19h às 22h

(No dia 15 de outubro não haverá aula devido ao feriado)
Valores: à vista: R$ 1500 | parcelado: 4 mensalidades de R$ 400
Mais informações: página do Facebook
Inscrições pelo email: [email protected]

O objetivo do curso é fornecer aos alunos um método, um procedimento que facilite a tarefa de escrever roteiros. Não se trata de algum tipo de estética normativa que pretenda determinar como deveria ser um roteiro; a estética não está em questão. O objetivo é prático, trata do domínio de instrumentos úteis à tarefa de roteirização. O curso é ministrado através de três módulos distintos que podem ser realizados simultaneamente, em dias diferentes da semana, ou na sequência em que são apresentados neste programa, num prazo total de três meses. Em primeiro lugar, é preciso informar ao aluno sobre a teoria e a prática do roteiro. Em seguida, o aluno deve trabalhar no projeto pessoal de um roteiro para longa-metragem, num processo que ser acompanhado e discutido numa oficina semanal. Finalmente, uma seleção de filmes, com roteiros exemplares, deve ser exibida, em sessões especiais para os alunos, para a análise e discussão a ser feita em seguida, em sala de aula. Continuar lendo

“Fui demitido porque saí da senzala”

Manifestantesse reuniram em frente à Câmara dos Vereadores

Garis do Rio perseguidos após alcançar conquistas históricas. Prefeitura demite lideranças e avança em projeto de terceirização, em vingança contra categoria

Por Célio Gari, no Círculo de Cidadania

Trabalho há 15 anos na Comlurb no final de abril fui demitido. Não fui o único. 77 colegas foram dispensados nos últimos dias. Todos garis que cometeram o “pecado” de exercer o direito de greve, que se organizaram e resolveram se fazer visíveis. O amigo Bruno da Rosa, por exemplo, foi demitido porque ousou responder a um dos gerentes que se portava como um verdadeiro capataz de escravos.

Um dia antes de receber a carta de demissão, eu participei da audiência pública “O direito de greve e manifestação na cidade do Rio de Janeiro” (vídeo de minha fala: http://tinyurl.com/lwghlv4). Foi minha primeira vez na Câmara dos Vereadores e motivo de orgulho. Vesti o uniforme da Comlurb e falei da dignidade de ser gari, trabalhador da limpeza, do meio ambiente e da saúde. Falei das conquistas que tivemos recentemente, mas também das retaliações. Falei do esforço de auto-organização da categoria e de discussão pela cidade que queremos, apesar das dificuldades impostas pela empresa, a prefeitura e o próprio sindicato, nenhum desses nos representam. Continuar lendo

Fala a advogada que pede asilo político no Uruguai

Maio de 2014: professor é espancado pela polícia fluminense -- a mesma que orquestra, com setores do Ministério Público e Judiciário, prisões abusivas

Maio de 2014: professor é espancado pela polícia fluminense — a mesma que orquestra, com setores do Ministério Público e Judiciário, prisões abusivas

A democracia é regra e nos pertence. Temos o direito de defender nossas ideias, nossos desejos de transformação para fazer o Brasil ir além”

Por Eloísa Samy


Sobre o tema:
ADVOGADA PERSEGUIDA PELO JUDICIÁRIO PEDE ASILO NO URUGUAI
Assista ao vídeo em que Eloísa Samy aponta violação das liberdades civis, nas prisões de ativistas no Rio e S.Paulo. Veja por quê ela tem razão, dos pontos de vista político e jurídico
Por Antonio Martins

Em vídeo no YouTube, Eloísa Samy, refugiada no consulado do Uruguai no Rio de Janeiro, explica as razões de seu pedido de asilo político. Eis a transcrição de sua mensagem:

Sou Eloísa Samy, advogada ativista de direitos humanos, tenho 45 anos, e há 22 anos exerço a advocacia com zelo e responsabilidade profissional.

Hoje sou uma perseguida política, sendo criminalizada pela minha atuação na defesa dos direitos de manifestação. Continuar lendo

Rio: bomba-relógio no transporte coletivo

140414-greverodoviariso

Greve nos transportes pode ser retomada na Copa, relembra protestos de Junho e convoca: hora de romper promiscuidade entre poder público e grupos econômicos 

Por Luã Braga de Oliveira

Na última quinta-feira, 8/5, o Rio de Janeiro acordou com a notícia de uma greve de trabalhadores rodoviários de grandes proporções. Entre as causas, estava a insatisfação da classe com seu sindicato – que fechara acordos com o poder público sem consulta prévia a assembléia – e a recente aprovação, sobre forte pressão do empresariado, do aumento da jornada de trabalho dos motoristas de ônibus pela Câmara dos Deputados.

Os trabalhadores em greve manifestaram sua insatisfação com a as condições a que são submetidos, declararam sua insatisfação com os atos do sindicato e ameaçaram, caso não sejam tomadas providências, uma grande greve durante a Copa do Mundo de 2014. Muitos foram aqueles que, ao terem seu dia-a-dia prejudicado, empenharam-se em criticar os trabalhadores grevistas. Contudo, seria ideal que este caso trouxesse novamente ao debate público a questão central por trás do sucateamento dos transportes públicos no Rio : o mafioso oligopólio privado que controla os serviços e suas relações simbióticas com o poder público. Continuar lendo

Violência (1): “Pronto. Santiago Andrade está morto”

140211-santiago

“Nenhuma jornada de lutas do século XX, com milhões de pessoas, valeu-se de violências. Do seu lado, estavam a razão e a vitória. Agora, black-blocs entram no jogo pesado que direita quer impor ao país” 

Por Gilberto Maringoni 

Santiago Andrade foi vítima da estupidez de arruaceiros infiltrados entre manifestantes, no Rio de Janeiro. Foi vítima dos marginais que se autointitulam black blocs. Estes nada têm a ver com democracia, com luta por direitos e muito menos com jovens da periferia que querem um lugar ao sol.

Diante da provocação montada por Eduardo Paes – que brincou com gasolina ao aumentar as passagens de ônibus de um sistema sucateado – os black blocs entraram no jogo pesado que a direita quer impor ao país.

O jogo do caos. Continuar lendo

Uma despedida de Santiago Andrade

Santiago Andrade, cinegrafista atingido por rojão durante manifestação

“Esta noite eu passei no hospital me despedindo. Só eu e ele. Deitada em seu ombro, (…) prometi seguir de cabeça erguida e cuidar da minha mãe e meus avós”

Por Vanessa Andrade, filha de Santiago

Meu nome é Vanessa Andrade, tenho 29 anos e acabo de perder meu pai. Quando decidi ser jornalista, aos 16, ele quase caiu duro. Disse que era profissão ingrata, salário baixo e muita ralação. Mas eu expliquei: vou usar seu sobrenome. Ele riu e disse: então pode!
Quando fiz minha primeira tatuagem, aos 15, achei que ele ia surtar. Mas ele olhou e disse: caramba, filha. Quero fazer também. E me deu de presente meu nome no antebraço.

Quando casei, ele ficou tão bêbado, que na hora de eu me despedir pra seguir em lua de mel, ele vomitava e me abraçava ao mesmo tempo. Continuar lendo

Visita do Papa: os primeiros balanços

1

Declarações de tolerância em relação aos gays repercutem em todo o mundo. Gilson Caroni vê sagacidade do pontífice, na entrevista à Globo

Que uma modernização real da igreja católica, sob Papa Francisco, é altamente improvável, o filósofo Toni Negri já argumentou, com razões de sobra, ainda antes da eleição do pontífice. Talvez as análises sobre o papel de Jorge Mario Bergoglio não devam focar neste ponto, superado — e sim no que ele, como expressão de um poder ainda influente, na ordem geopolítica do mundo, pode representar. É o que sugerem, entre outros, Immanuel Wallerstein.

A partir deste prisma, é possível ver sinais positivos, na primeira viagem internacional importante de Francisco, concluída este fim de semana, no Brasil. Num momento em que as ameaças do fundamentalismo religioso são cada vez mais graves, tiveram enorme repercussão as palavras amenas do papa em relação aos homossexuais: “se alguém é gay e procura Deus de boa vontade, quem sou eu para julgar?”. Veja, por exemplo, as matérias de hoje no Página12, The Guardian, Le Monde, ElPaís e New York Times — todas destacando este aspecto da última entrevista concedida por Francisco.

Continuar lendo

A caminho da Copa: o trator que só passa

Se havia ainda gente que desconhecia o fato, aí está um curta produzido pelo Instituto Pólis que escancara episódios repetitivos de remoções compulsórias, à serviço somente do capital e da vitrine global

A Caminho da Copa – Versão completa from Fulô Filmes on Vimeo.

(Produção Executiva e Direção: Carolina Caffé e Florence Rodrigues)

Por Bruna Bernacchio

A Copa vai passar. Para isso, alguns meses antes, as casas do entorno dos estádios são invadidas por funcionários públicos, medidas, marcadas com números e registradas em fotografia sem permissão. Assim mesmo, no estilo nazi. Seus moradores (inclusive que possuem a concessão de suas casas) são obrigados a assinar papéis. Ou, às vezes, nem isso: de repente, chega o trator. Quem resiste, leva bomba, inclusive as crianças.

Continuar lendo