Por que o “Fora, Temer!” já não basta

160608-ForaTemer

Possível prisão da cúpula do PMDB demonstra: presidente é figura secundária, no cenário caótico que conduziu ao golpe. Para restaurar democracia e evitar o Estado Policial, é preciso propor a Reforma Política

Por Antonio Martins


TEXTO EM CONSTRUÇÃO
O rascunho a seguir é o ponto de partida para uma análise de mais fôlego sobre o cenário político atual. Contribuições e críticas são muito bem-vindas. Faça-as no espaço para comentários do post

Trinta horas depois de revelado o pedido de prisão dos senadores Renan Calheiros, José Sarney e Romero Jucá, e do deputado Eduardo Cunha, ainda é impossível saber a que interesses serviu o vazamento. Aos do Procurador Geral da República (PGR), que quer tirar de cena a cúpula do PMDB e procurou expô-la à execração pública? Ou, ao contrário, aos próprios dirigentes do partido, interessados em amedrontar a casta política para mobilizar sua solidariedade contra Rodrigo Janot?

Seja qual for a resposta, algo muito relevante emergiu. A ousadia dos pedidos de prisão indica que o terremoto político iniciado pela Operação Lava Jato pode estar muito longe do final. Janot – ao que tudo indica o mentor e coordenador [texto Nassif] dos juízes e procuradores de Curitiba – atinge agora o núcleo central do governo Temer e do PMDB. Talvez também esteja por trás dos vazamentos muito recentes que comprometem o próprio governo FHC e fustigam, portanto, a oposição mais claramente identificada com o neoliberalismo. Se enfrenta tantos oponentes, investindo de maneira inédita contra o Palácio do Planalto e o comando do Legislativo, duas conclusões se impõem.

Continuar lendo

TEXTO-FIM

SP: começa mobilização pela Reforma Política

Na foto Manifestantes protestam e GoiâniaCrédito: Renan Accioly
Organizadores da consulta popular sobre plebiscito e Constituinte exclusiva convocam manifestação nesta terça, no vão do MASP


LEIA MAIS:
Reforma Política: que fazer agora?
Um dos coordenadores da consulta que mobilizou sociedade esta semana sustenta: foi apenas primeiro passo – porque não haverá novo país sem nova democracia
Jose Antonio Moroni, entrevistado por Antonio Martins

O comitê estadual do Plebiscito Popular por uma Assembleia Nacional Constituinte exclusiva para a Reforma Política, com legisladores eleitos especificamente para promover a reforma das instituições políticas brasileiras, convida a população a participar de ato de apoio ao Plebiscito nesta terça-feira, 4 de novembro, às 18 horas, no vão livre do MASP.

A consulta popular está prevista no projeto legislativo protocolado dia 30 de outubro, na Câmara, pelos deputados Renato Simões (PT-SP) e Luiza Erundina (PSB-SP), com 185 assinaturas; e no Senado pelo senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP).  Continuar lendo