O estranho esbravejar do governador

130815-Alckmin Pressionado por sinais de que escândalo da Siemens atingirá seu governo, Alckmin distanciou-se da empresa. Mas há indícios muito fortes dos vínculos entre ambos. Veja quais são Por Vinícius Gomes O governador paulista, Geraldo Alckmin, reagiu de forma criativa, terça-feira (13/8), diante do agravamento do escândalo de corrupção que ameaça seu governo e respinga sobre os anteriores. Confrontado com sinais de que quatro corporações transnacionais manipularam preços de equipamentos e serviços vendidos à Companhia do Metrô (controlada pelo Estado), mostrou-se indignado. Afirmou que processará a corporação alemã Siemens, uma das envolvidas: “É ré confessa. (…) Vai indenizar centavo por centavo. As outras empresas, [se for] concluído que participaram de um cartel, também serão processadas”, disse ele. As empresas têm sido capazes de constituir um cartel e elevar artificialmente os preços, por cerca de duas décadas, sem conhecimento dos dirigentes do Metrô ou dos governadores? A hipótese que Alckmin sugere é verossímil? Diversos indícios sugerem o contrário. Acompanhe: Continuar lendo

TEXTO-FIM