Fala a advogada que pede asilo político no Uruguai

Maio de 2014: professor é espancado pela polícia fluminense -- a mesma que orquestra, com setores do Ministério Público e Judiciário, prisões abusivas

Maio de 2014: professor é espancado pela polícia fluminense — a mesma que orquestra, com setores do Ministério Público e Judiciário, prisões abusivas

A democracia é regra e nos pertence. Temos o direito de defender nossas ideias, nossos desejos de transformação para fazer o Brasil ir além”

Por Eloísa Samy


Sobre o tema:
ADVOGADA PERSEGUIDA PELO JUDICIÁRIO PEDE ASILO NO URUGUAI
Assista ao vídeo em que Eloísa Samy aponta violação das liberdades civis, nas prisões de ativistas no Rio e S.Paulo. Veja por quê ela tem razão, dos pontos de vista político e jurídico
Por Antonio Martins

Em vídeo no YouTube, Eloísa Samy, refugiada no consulado do Uruguai no Rio de Janeiro, explica as razões de seu pedido de asilo político. Eis a transcrição de sua mensagem:

Sou Eloísa Samy, advogada ativista de direitos humanos, tenho 45 anos, e há 22 anos exerço a advocacia com zelo e responsabilidade profissional.

Hoje sou uma perseguida política, sendo criminalizada pela minha atuação na defesa dos direitos de manifestação. Continuar lendo

TEXTO-FIM

Juristas reagem à criminalização das lutas sociais

140720-Repressão

Tropa de choque da PM paulista agride professora, gratuitamente: um símbolo da tentativa de eliminar liberdades

Documento encabeçado por Fábio Konder Comparato demonstra: prisões em SP ferem liberdades civis, repetem métodos da ditadura e ameaçam a própria Constituição de 1988

Manifesto de Juristas contra a Criminalização das Lutas Sociais

É com imensa perplexidade que se divisa o recrudescimento da repressão e das tentativas de criminalização das lutas sociais pelos poderes instituídos.

Desde junho do ano passado, quando as grandes manifestações se multiplicaram a partir da luta contra o aumento da tarifa, observa-se que, longe de responder às reivindicações com propostas de concretização de direitos sociais, os agentes do Poder Público têm respondido com violência e tentativas abusivas de criminalização de ativistas. Continuar lendo