A estranha invasão da Unesp em Marília

170515-Marília

Assembleia no campus da Unesp-Marília, há um ano. Policiais parecem interessados em evitar mobilizações como esta

PMs entram no campus, intimidam, insultam e destroem cartazes durante assembleia estudantil. Diante da resistência, retrocedem

Um texto da Diretoria Central da Adunesp

Em meio a uma grave conjuntura política nacional de ataques contra os direitos democráticos assegurados pela Constituição, nas últimas horas do dia 8 de maio, sob o pretexto de estar realizando um patrulhamento ostensivo nas imediações, uma viatura da Polícia Militar invadiu o campus universitário da Unesp de Marília, causando um enorme tumulto envolvendo estudantes, servidores técnico-administrativos e docentes, que estavam ali presentes. De modo absolutamente intimidador, os policiais dirigiram insultos de caráter político-ideológico contra os docentes que tentavam mediar a situação. Por diversas vezes ameaçaram prender estudantes reunidos em razão de uma assembleia, sob o pretexto de estarem fazendo uso de entorpecentes. Cartazes chegaram a ser destruídos pelos policiais, segundo relatos de estudantes.

O reforço de uma segunda viatura chegou a ser acionado. Indagados sobre a ausência de qualquer solicitação formal realizada pela direção da unidade, afirmaram repetidas vezes, e diante da figura do próprio diretor da unidade, que poderiam adentrar o espaço da universidade quando bem entendessem. Sob a alegação de estarem cumprindo ordens de uma instância superior, os policiais recusavam-se intransigentemente a se retirar do local, ainda que inexistisse, naquele momento, motivo algum para a sua presença no Campus. Sob forte manifestação dos estudantes, os policiais impunham como condição para a retirada da viatura o silenciamento dos gritos de protesto e a dispersão dos manifestantes, o que evidentemente não aconteceu.

Assim, diante dessa inadmissível demonstração de autoritarismo e desrespeito para com a universidade pública e àqueles que nela trabalham e estudam, a Associação dos Docentes da Unesp vem a público expressar o seu mais veemente repúdio à intervenção policial sobre as atividades políticas e associativas realizadas por qualquer um dos segmentos da comunidade acadêmica, garantidas pela Constituição Federal de 1988, reafirmando, assim, a sua posição de defesa dos direitos democráticos duramente conquistados pela sociedade.

TEXTO-FIM

2 ideias sobre “A estranha invasão da Unesp em Marília

  1. Vota na direita, sobretudo na direita paulista, vota!!!

    Em São Paulo, já se faz muito tempo, que clara e ostensivamente, parte da PM está sem controle de um lado, e de outro, atende com gosto os governos de direita, ambos protegidos pela mais reacionária elite ( judiciário) e classe “mérdia” do Brasil…

    Simples assim: governo, judiciário, polícia e parte da opinião pública, os reacionários e corruptos hipócritas (resguardadas exceções) neo bestas, todos beeeem juntinhos…

    Direita, volver!!!

  2. Exatamente. O objetivo é o de intimidar e tentar impedir qualquer tipo de organização ou manifestação crítica que pense e se oponha a todos os crimes contra a liberdade e contra os setores populares que estão ocorrendo neste país (des) governado pela quadrilha temerária a serviço do grande capital e dos setores mais retrógrados e reacionários .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *