Dez documentários para entender a crise do sistema prisional

15182445199077

Superlotação nos presídios, quarta maior população carcerária do mundo e uma taxa de encarceramento que cresce de modo explosivo. Como enfrentar esse inferno brasileiro?

Por Cauê Seignemartin Ameni

As chacinas no Complexo Penitenciário Anísio Jobim, em Manaus (AM), e na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, em Boa Vista (RR), reacenderam o debate sobre a falência do sistema prisional brasileiro. Segundo os últimos dados levantados pelo Sistema Integrado de Informações Penitenciárias do Ministério da Justiça (Infopen), divulgados em 2014, o Brasil chegou à marca de 607,7 mil presos, ante 581 mil do ano anterior. Desta população, 41% aguardam atrás das grades seu julgamento. Ou seja, um sistema em que há 222 mil pessoas presas sem condenação.

Além disso, há uma superlotação aberrante: as vagas nos presídios não são suficientes. Há apenas 376,7 para os 607 mil presos, aponta o relatório.

O Infopen também lançou, em 2015, um relatório especial para traçar um recorte de gênero sobre a questão. Entre 2000 e 2014, o crescimento da população carcerária feminina apresentou um salto de 567,4% — enquanto a dos homens foi de 220,2%. O relatório aponta que esta explosão no encarceramento feminino está relacionado ao tráfico, enquanto o encarceramento dos homens tem mais incidência em crimes como roubo.

Em aspecto global a situação não é nada animadora: o país tem a quarta população carcerária do mundo, atrás apenas de Estados Unidos, China e Rússia, com crescimento explosivo. Segundo levantamento da World Prison Brief (WPB), o ritmo de crescimento da população carcerária brasileira só foi superado, nas duas últimas décadas, pelo do Cambodja e El Salvador. Se a tendência continuar, a população carcerária brasileira tomará o posto, em números absolutos, da Rússia, onde o número de presos está caindo — de 866 mil em 2010 para 708 mil, em 2012.

Por que o encarceramento maciço continua neste ritmo? Por que a postura do Judiciário é preconceituosa e a criminalização da pobreza se alastra pelo país? Como a “guerra às drogas” inunda as cadeias?

Para entender essa realidade infernal e expor as entranhas do sistema penal, selecionamos 10 documentários disponíveis logo abaixo. Publicamos também um relatório da Conectas com 10 medidas para solucionar o fracasso que tem sido a política de encarceramento catastrófica que vive o país.

1) Quanto mais presos, maior o lucro

2) As Mulheres e o Cárcere

3) Tortura e Encarceramento em Massa no Brasil

4) Sem pena

5) Pelo Direito de Recomeçar

6) Juízo (Jovens infratores no Brasil)

7) O Cárcere e a Rua

8) Entre a luz e a sombra – Carandiru

9) O Prisioneiro da Grade de Ferro

10) (A.H.F) Justiça

TEXTO-FIM

5 ideias sobre “Dez documentários para entender a crise do sistema prisional

    • Por favor, faça um vídeo sobre os cemitérios que enterram as vítimas dos prisioneiro, juntamente com os testemunhos das mães, pais, irmãos e amigos das vítimas. Por favor, coloque ainda o testemunho das mulheres que foram estupradas, das outras que vívem a síndrome do pânico e não podem ter uma vida com liberdade. Entrevistem ainda as pessoas que não têm uma vida normal poruqe foram vítimas dos assaltantes presos e também das famílias que perderam seus entes queridos por causa dos traficantes de drogas.
      Por favor, sejam honestos a apresentarem os dois lados dessa problemática.

      • O sentimento de vingança, de “fazer justiça com as próprias mãos”, de dar tratamento cruel a quem lesou a sociedade, em minha opinião é igualar-se, ou seja, é desrespeitar também os preceitos da lei.
        Trate o ser humano como se ele fosse um animal feroz e ele assim reagirá. Por isso, não devemos jamais esquecer que esses indivíduos retornarão ao convívio social e que o objetivo expresso em lei é o de melhorá-los, sendo incumbência do Estado proporcionar meios para essa melhora.
        Devemos, então, simplesmente “cobrar” do Estado o cumprimento do que dispõe a Lei de Execução Penal em vigor.

  1. Amei seus videos, nao que concorde com todas as opinioes. Visto, que o Estado e as siglas partidarias no Brasil sao temerosos. desculpe, meu teclado, nao esta realizando as acentua;oes. A corrupao tomou conta de todos os espacos.
    Porem, a Democracia e a opcao adequada para qualquer Nacao, e nem todo policial tortura. E na minha opiniao traficante julgado, transitado em julgado, nao tem perdao, afinal, por sua culpa, ganancia, tao indigna quanto os corruptos extermina pobres trabalhadores que morrem em filas por saude. Se estao morrendo decapitados n’ao tenho do, isso e com JESUS. Porem, o sistema prisional deve ser adequado pelo ESTADO, mas sem bandeiras partidarias, mas com responsabilidade aos INTERESSES Publicos. BEIJAO.

  2. Tudo isso é grtaldo em prol de valor e essa demora de jugamento…
    Quando.mais o prazo demora mais ganha a constituições, que administra o presido.
    Isso casa cheia..mais dinheiro..ou seja presídio cheio mais gastos..mas o estado paga..os donos ficam.mais ricos…e a justiça realmente é céga.e o dinheiro do povo não tem valor…a não ser para os propios interçados….acorda justiça brasileira ou tira esse lenço da casa…que todos ja enchergamos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *