Complexa formação do Homo sapiens

Fósseis de hominídeos encontrados no Quênia indicam que o diagrama acima pode ser uma simplificação grosseira demais

Por Daniela Frabasile

Os diagramas tradicionais sobre a evolução humana, que sugerem um caminho linear dos símios aos hominídeos e ao atual Homo sapiens, podem ser pobres demais. Ao menos é o que indica a descoberta, no Quênia, de três fósseis de nossos ancestrais, em bom estado de preservação. Anunciado nesta quinta-feira, após anos de estudos de laboratório, o achado dos ossos deu-se graças a uma equipe científica liderada pelas paleo-antropólogas Meave e Louise Leakey. Ele revela que, muito provavelmente, diferentes espécies de seres do gênero homo habitaram simultaneamente o leste da África, cerca de 2 milhões de anos atrás.

Um dos três espécimes encontrados (nomeado KNM-ER 62000, ou apenas 62000) apresenta grande caixa craniana e rosto longo e achatado. São características que se assemelham ao crânio conhecido como 1470, encontrado na mesma área em 1972. Desde a descoberta, o crânio 1470 foi centro de debate sobre linhagens múltiplas.

O crânio 62000 pode demonstrar que as feições encontradas no 1470 não são peculiaridades de um único indivíduo pertencente à espécie Homo habilis — mas de outra espécie do gênero. Além disso, os outros dois indivíduos parecem apresentar uma peça que estava faltando: o espécime 1470, encontrado há quarenta anos, não tinha a mandíbula inferior. Já o fóssil nomeado 60000, um dos três mais recentes, inclui a mandíbula inferior quase completa (considerada a mandíbula mais completa de um homo primitivo já encontrada), além de parte de uma mandíbula do espécime 62000.

Os paleo-antropólogos Meave Leakey e Fred Spoor, no local das descobertas

O grupo de cientistas que fez a descoberta é cauteloso. Ele preferiu não rotular os fósseis como o membros de nenhuma das espécie de hominídeos até o momento. Aguarda novas análises para fazê-lo. Porém, Fred Spoor, o paleo-antropólogo que dirigiu os primeiros exames laboratoriais do material encontrado no Quênia, sentiu-se seguro para antecipar: “a evolução humana não é a linha reta que pensávamos que fosse”; além disso, o leste africano era, à época em que viveram os seres agora encontrados “um lugar bem povoado, com espécies [de hominídeos] diferentes”, presumivelmente até com hábitos alimentares diferentes.

Outro pesquisador envolvido na descoberta, Ian Tattersall, do American Museum of Natural History, afirma: “[os novos fósseis] apoiam a visão de que o começo da história do gênero Homo envolveu experimentação do potencial biológico e comportamental, e não um lento processo de refinamento da linhagem central”.

TEXTO-FIM

13 ideias sobre “Complexa formação do Homo sapiens

  1. A vida vem em curvas, ou ondas.O pensamento reflexivo delas se desborda e se afasta ao seguir por suas tangentes no rumo de uma irrealidade geométrica e abstrata. Mas, muito reveladora da ideologia “patriarco-racionalista” é a representação da evolução humana retilínea, sempre masculina.

  2. Toda visão retilínea é reducionista e simplificadora, e a vida é complexa, muito além disso. Exemplo conhecido é a ideia de uma história linear, progressiva, com a criação do mundo e o Juízo final, … uma perfeita linha reta que acaba numa espécie de incógnita metafísica. Bom ver que as possibilidades se ampliam.

  3. Sendo ou não essa a verdade, o que mais importa é estar tentando, racionalmente, descobrir a verdade ao invés de pensar em mitos e lendas para explicar nossa origem.Parabéns à ciência pelo seu esforço!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>