Uma das reações ao terror político precisa ser a valorização do Legislativo

Marielle Franco, símbolo de resistência. (Foto: Mídia Ninja)

Marielle Franco, símbolo de resistência. (Foto: Mídia Ninja)

Ocupação de cargos parlamentares será uma resistência ao “cala a boca” embutido na ofensiva da direita; esquerda precisa parar de girar apenas em torno do Executivo

Por Alceu Luís Castilho (@alceucastilho)

Vereadora Marielle? Presente. Deputadas Marielles? Presentes. Senadoras Marielles? Presentes. Defendo esta versão utópica do cenário político sem exemplos do Executivo porque a sociedade brasileira precisa se dar conta da importância do Legislativo. Marielle Franco foi executada no Rio, ao que tudo indica, por falar. Por defender direitos de gente que vive em territórios ocupados por militares ou paramilitares, mas também – literalmente – por empunhar microfones.

E uma das melhores homenagens possíveis a ela, portanto, é a tomada das Câmaras e Assembleias por centenas de resistentes. Em nome de milhões de brasileiros que não aceitam essa desproporção nos cargos parlamentares, ocupados há séculos pelas elites econômicas, quando muito por elites partidárias. Em março de 2018 a sociedade ainda pode se mobilizar para que seja incluída – e mais gente levante bandeiras como a que a vereadora carioca levantou. Continuar lendo