Não, não está legal a capa da Galileu com um “bandido morto”

galileu-bandidomorto

Por mais que revista da Globo se posicione contra linchamento de negros e pobres, edição parte de pressupostos mais do que questionáveis, que naturalizam distorções

Por Alceu Luís Castilho (@alceucastilho)

Não. Nem por hipótese é possível aceitar a ignomínia da frase “bandido bom é bandido morto”. A revista Galileu deste mês propõe uma abordagem mais progressista para o tema que a média da grande imprensa, é bem verdade. Mas com vários senões. Que muito defensor de direitos humanos ainda não percebeu. A própria manchete traz pressupostos perigosos: “O bandido está morto. E agora?” (Com a imagem de um modelo negro amarrado – linchado – e morto, cheio de sangue.)

E quais seriam esses pressupostos? Implícitos ou explícitos?

1) Quem mata é a população.

Sim, também vivemos no país dos linchamentos. O sociólogo José de Souza Martins detalhou o tema em livro recente (Editora Contexto, 2015). Mas quem mais mata no Brasil esses que o senso comum chama de “bandidos” não são os populares. É a polícia. Particularmente a Polícia Militar. São os grupos de extermínio, as milícias – formadas também por policiais.
Continuar lendo

2015 – Mais um ano de naturalização da violência policial

Paraná29abril

Agressão a professores em Curitiba (Foto: José Gabriel Tramontin / Lente Quente)

Tortura, chacinas, grupos de extermínio, execução de crianças, repressão a protestos; show de horrores da PM ganha noticiário, mas de forma dispersa, sem coesão

Por Alceu Luís Castilho (@alceucastilho)

As chacinas ainda ganham algum destaque na imprensa – em ciclos. Em 2015, a matança em Osasco em Barueri foi uma das principais notícias de segurança publica, ao lado da tradicional truculência em manifestações de estudantes, professores e movimentos sociais. Esta, disfarçada em “confronto”. De um modo geral, porém, a sociedade brasileira segue assimilando a violência policial. Sem que ela apareça – apesar da ampla escala – nas retrospectivas televisivas ou impressas de fim de ano.

Esta sequência diz muito sobre o que aconteceu em Osasco:

14/08 (Osasco, Barueri, SP): Série de ataques deixa ao menos 18 mortos e 6 feridos na Grande SP
27/08 (Osasco): Adolescente morre em hospital e é a 19ª vítima de chacina na Grande SP (Letícia tinha 15 anos.)
28/10 (Osasco e Barueri): PMs queriam vingança e mataram 23 inocentes na Grande SP, diz secretário
07/11 (Osasco): Principal testemunha de chacinas é assassinada a tiros na Grande SP
Continuar lendo

Grupos de Extermínio: o Brasil oculto do Capitão Wagner

chacina-fortaleza

Deputado cearense, representante de PMs, acusa um major de comandar grupo de extermínio; mas ele mesmo já tinha sido acusado por Ciro Gomes de ser o chefe

Por Alceu Luís Castilho (@alceucastilho)

“Dentro da Polícia Militar do Ceará tem sim um grupo de extermínio, e aqui nesta tribuna eu já denunciei que ele existe e tem um chefe. É o major Henrique, que foi da Coin e hoje ainda trabalha na Inteligência”.

Assim começa texto do site Ceará News sobre declaração em plena Assembleia Legislativa feita na terça-feira (17) pelo deputado estadual cearense Capitão Wagner (PR). O mesmo jornal lembra que o próprio deputado já foi acusado, pelo ex-governador Ciro Gomes, de chefiar na PM uma “milícia fardada”. Continuar lendo

Uma democracia com grupos de extermínio. Por todo o país

osasco
A chacina de Osasco não foi um caso isolado. Seguem exemplos de grupos de extermínio por Unidade da Federação. Boa parte das notícias é de 2015

Por Alceu Luís Castilho (@alceucastilho)*.

ACRE. “Agentes penitenciários denunciam ação de grupo de extermínio”.
http://bit.ly/…/…/agentes-penitenciarios-denunciam-acao.html (2015)
ALAGOAS. “Integrante de grupo de extermínio chefiou Guarda Municipal”.
http://tnh1.ne10.uol.com.br/…/pilar-integrante-de-grupo-de-… (2015)
AMAPÁ. “Prisão de comerciantes revela existência de grupo de extermínio de assaltantes”. http://g1.globo.com/…/prisao-de-comerciantes-revel…/2670032/ (2013)
AMAZONAS. “Grupo de extermínio liderado por policial militar reformado é preso”. http://acritica.uol.com.br/…/Manaus-Amazonas-Amazonia-exter… (2015)
BAHIA. “Jovens negros na mira de grupos de extermínio”. http://apublica.org/…/jovens-negros-na-mira-de-grupos-de-e…/ (2013)
CEARÁ. “Há grupo de extermínio dentro da PM do Ceará”. http://blog.opovo.com.br/…/capitao-wagner-ha-grupo-de-exte…/ (2012)
* Publicado originalmente em Outro Brasil, 15/08/2015

Continuar lendo