Haddad e os moradores de rua; ele fala de “hipocrisia”; falemos de cinismo

Prefeito demonstra ao mesmo tempo arrogância e ignorância em relação a aspectos elementares da comunicação com cidadão e imprensa; seria melhor ouvir conselhos

Por Alceu Luís Castilho (@alceucastilho)

Prefiro acreditar que as pessoas que cuidam do setor de comunicação da prefeitura paulistana tentem alertar Fernando Haddad sobre aspectos básicos do tema. E que apenas ele – sem ouvir os conselhos – seja o responsável pela sequência de falas desastrosas, no caso da morte de moradores de rua em São Paulo.

Digo isto a propósito de um post de ontem no Facebook, intitulado “mentira e hipocrisia“. Sim, ele começa falando da grande imprensa. Que, de fato, é hipócrita. Com agenda mais eleitoral que humanista. Mas encerra falando de “romantização da permanência na rua em situação de risco extremo”, e associando-a à hipocrisia.

Falemos, então, de hipocrisia. E de cinismo. Muito boa a aula do professor Haddad sobre a diferença entre as duas palavras. Ao falar – cinicamente – de hipocrisia. Continuar lendo

Sobre as regras nos albergues e as pessoas que morrem de frio

Cinco moradores de rua morreram nos últimos dias em SP; tuberculose e rejeição a animais de estimação como fatores de rejeição a abrigos mostram limites do Estado

Por Alceu Luís Castilho (@alceucastilho)

Há muito mais coisas entre os albergues e os moradores de rua que o senso comum possa imaginar. Uma das consequências concretas: as pessoas estão morrendo de frio. Em São Paulo, nos últimos dias, foram cinco. Notícia de hoje da Folha mostra que as regras nos albergues afugentam o povo de rua. Entre elas, proibição de casais. Outra, dificuldade para abrigar os animais de estimação.

Mas não só: há o medo da tuberculose. Nada menos que uma das principais causas de morte nos presídios, por exemplo. Todos esses fatores estão listados na reportagem. E mostra que a recusa dos moradores de rua em relação aos abrigos nada tem de capricho. Muito menos de suicida: há os que preferem andar à noite para se aquecer; e, portanto, dormir de dia. Continuar lendo

Haddad vai continuar tirando os cobertores da população de rua?

marcelocamargo

Lei de Ocupação do Solo está acima dos direitos humanos? (Foto: Marcelo Camargo/ABr)

Padre Julio Lancelotti afirma-se como voz isolada contra barbárie da GCM; defesa de outras iniciativas da prefeitura não pode significar silêncio diante dessa violência

Por Alceu Luís Castilho (@alceucastilho)

O padre Julio Lancelotti tem larga trajetória na defesa da população de rua. Nesta terça-feira, após mais uma madrugada fria em São Paulo, ele publicou mais um protesto, em sua página no Facebook, contra a política executada pela Guarda Civil Metropolitana:

– Nestes dias mais frios e com chuva causa indignação ver a GCM tirando os cobertores da população de rua e destruindo as barraquinhas que são sua única proteção para a chuva e o frio. Junto levam cobertas, colchões, comida, água, remédios e documentos. Até quando a prefeitura agirá desta forma desumana, cruel e torturante?
Continuar lendo